87 anos da Pintura da Primeira Imagem de Jesus Misericordioso

Há 87 anos, Jesus pedia à Santa Faustina a pintura do quadro

 

O dia 22 de fevereiro de 1931 marcou muito a vida de Santa Faustina. Foi neste dia que ela teve a visão de Jesus Misericordioso na sua cela. Ele estava vestido de branco. “Uma das mãos erguida para abençoar, enquanto a outra tocava-Lhe a túnica sobre o peito. Da túnica entreaberta sobre o peito saíam dois grandes raios, um vermelho e o outro pálido.” (Diário, 47). Realmente a partir dessa imagem Jesus queria abençoar toda a humanidade. O quadro devia servir para despertar principalmente a confiança na sua infinita Misericórdia. Por isso Ele pediu que fosse colocada a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós!” (Diário, 47). Faustina ficou muito feliz com esta visão.

Jesus apresentou pedido para que esta imagem fosse venerada no mundo inteiro. O número seguinte do Dário é a promessa de Jesus: “Prometo que a alma que venerar essa Imagem não perecerá. Prometo também, já aqui na terra, a vitória sobre os inimigos, e especialmente na hora da morte. Eu mesmo a defenderei como Minha própria glória” (Diário, 48). Aqui conhecemos a finalidade da imagem – despertar a confiança que deve conduzir para a salvação. Por isso não se deve publicar a imagem sem a legenda. Ela faz parte da mensagem de Deus para nós. Jesus lembra muitas vezes que deve despertar a confiança principalmente dos maiores pecadores.

Outro momento importante para manifestar a Sua Misericórdia é a hora da nossa morte. Este é o momento que todos temos medo, e ninguém escapa dele. Nesse momento Jesus promete nos defender para não perdermos a nossa salvação. A vontade de Deus é que todos sejam salvos. Que todos possam participar da Sua glória. A sua promessa se refere também que não vai perecer quem confiar Nele e venerar a Imagem. Quanta gente banaliza o uso das imagens. Jesus valoriza muito fazendo-nos estas promessas. Quantos pais choram o afastamento dos seus filhos de Deus e da Igreja. Aqui temos a resposta sobre a importância da veneração da imagem nos santinhos ou nas medalhas com Jesus Misericordioso.

Outra promessa se refere à vitória sobre os inimigos. Principalmente os inimigos da nossa salvação. Quantas vezes encontramos pessoas com muitas dificuldades na luta contra as tentações. Quantas vezes caímos de novo na mesma tentação. Quantas vezes alguns chegam até ao desespero dizendo que não existe mais a possibilidade de vencer. Jesus nos oferece o seu quadro para despertar mais confiança Nele. Mais uma vez quero destacar que esse consolo é principalmente para os maiores pecadores. “Que o pecador não tenha medo de se aproximar de Mim. Queimam-Me as chamas da misericórdia; quero derramá-las sobre as almas” (Diário, 50). Não há como resistir diante desse apelo de Jesus.

A confiança é necessária para vencermos todos os inimigos da nossa salvação; todos que nos seduzem para a vida de pecado. Aqui podemos nos perguntar como usamos esta arma para vencer os inimigos. O mesmo pedido é dirigido para os sacerdotes “que anunciem essa Minha grande misericórdia para com as almas pecadores” (Diário, 50). Em outra mensagem promete conceder aos sacerdotes as graças especiais. “Diz aos Meus sacerdotes que os pecadores empedernidos se arrependerão diante das palavras deles, quando falarem da Minha insondável misericórdia, da compaixão que tenho para com eles no Meu Coração. Aos sacerdotes que proclamarem e glorificarem a Minha misericórdia darei um poder extraordinário, ungindo as suas palavras, e tocarei os corações daqueles a quem falarem” (Diário, 1521). Qual dos padres não gostaria de ter essa unção na hora da pregação. Para essa finalidade serve também o quadro de Jesus Misericordioso.

Existe mais um detalhe importante que se refere ao quadro. Ele deve ser “abençoado solenemente no segundo domingo da Páscoa e este domingo deve ser a Festa da Misericórdia” (Diário, 49). O dia da manifestação especial da Misericórdia é a Festa da Misericórdia. Um dos elementos da comemoração dessa festa é exatamente a bênção dos quadros de Jesus Misericordioso. Não nos esqueçamos desse detalhe.

Jesus pede que este quadro não seja venerado somente por pessoas individualmente, mas que tenha um culto público (cf. Diário, 88). Inicialmente na capela das irmãs e depois no mundo inteiro (cf. Diário, 47). Que bom que hoje encontramos este quadro quase em todas as igreja pelo mundo inteiro. Quem viaja para os mais distantes países fica comovido quando encontra o quadro com a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós”. Podemos ver que o pedido dirigido para nós através da Santa Faustina está sendo realizado no mundo inteiro.

Quando Jesus pediu a pintura da Sua Imagem, Ele deixou também a confirmação de que este quadro não pode ser somente como uma imagem na alma da pessoa, mas que deve ser pintado com o pincel (cf. Diário, 49). Dessa maneira Jesus tira qualquer tentação de limitar a imagem somente para uma experiência particular nas almas das pessoas. O quadro de Jesus Misericordioso deve servir para despertar a pintura nas almas das pessoas. Jesus disse para Santa Faustina que “se descuidares da pintura da Imagem e de toda a Obra da Misericórdia, terás que responder por um grande número de almas no dia do juízo” (Diário, 154). A exigência e a cobrança foi muito forte.

Aqui começa uma caminhada difícil da Santa Faustina, porque ela não sabia pintar. Jesus lhe mandou procurar um pintor. Mesmo que a revelação sobre a imagem aconteceu no dia 22.02.1931, o quadro só ficou pronto em junho de 1934. Pela primeira vez ela se dirigiu ao pintor Eugeniusz Kazimirowski no dia 2 de janeiro de 1934.

Faustina ficou decepcionada com a imagem pintada e chorou dizendo que ninguém iria conseguir pintar Jesus com tanta beleza como ela o viu. É linda a confirmação de Jesus sobre o verdadeiro valor do quadro: Ele disse: “não está na beleza da tinta nem na habilidade do pintor, mas na Minha graça” (Diário, 313).

É importante lembrar que a Imagem foi colocada para o culto público em Ostra Brama junto ao quadro de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia. Mais uma vez a Mãe nos apresentou o Seu Filho pedindo que seja feita a sua vontade.

Uma vez pronto o quadro passou por muitos lugares até finalmente encontrar o seu lugar na igreja de Santuário da Divina Misericórdia em Wilno, Polônia. Inicialmente foi pendurado num corredor do convento das Irmãs Bernardinas, junto à igreja de São Miguel onde o Padre Sopoćko, diretor espiritual de Santa Faustina, era reitor. Permaneceu nesse local até 1948 quando a igreja foi fechada pelos comunistas. O quadro, então, permaneceu escondido por alguns anos e a partir de 1956 ficou numa igreja do interior da Bielorússia, em Nova Ruda, durante trinta anos, até 1986. Essa igreja havia sido desativada, mas a Imagem permaneceu lá por todo este tempo. Finalmente retornou para Wilno onde hoje recebe um culto público na igreja com a adoração perpétua.

Outro quadro de Jesus Misericordioso foi pintado por Adolf Hyla e colocado no altar lateral da capela das Irmãs da Mãe da Misericórdia em Cracóvia, em 1943. Esse quadro ficou mais conhecido por causa da veneração de milhares de peregrinos. Existem ainda outras imagens de Jesus Misericordioso pintadas por Stanislaw Batowski e por Ludomir Slendzinski. Precisamos lembrar a recomendação de Jesus à Santa Faustina de que o valor do quadro não está nas tintas e nas cores, mas na confiança que vai despertar nos corações humanos.

Mais tarde os Padres Marianos começaram a divulgar mais uma versão do quadro de Jesus Misericordioso a partir dos Estados Unidos, com os raios cercando a imagem de Jesus. Esse quadro foi muito divulgado também no Brasil. O motivo da pintura dessa nova imagem foi a questão dos direitos autorais para divulgação do quadro original. Muitos fiéis veneram esse quadro recebendo as mesmas graças da Divina Misericórdia pela confiança em Jesus Misericordioso.

A partir do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco para o ano de 2016, somos questionados e incentivados a sermos a imagem do Pai da Misericórdia. Através de cada um de nós as pessoas devem conhecer o amor misericordioso de Deus.

Quero terminar com uma pergunta: qual é a qualidade da imagem de Jesus Misericordioso estampada no seu coração? Já conseguiu conduzir alguém ao encontro do amor misericordioso do Pai?

 

Pe. Jan Sopicki, SAC, Rio de Janeiro – Texto extraído da Ed. 58 da Revista Divina Misericórdia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *