Alegria, oração e gratidão são três comportamentos que nos preparam para viver o Natal de modo autêntico

 

Neste terceiro domingo de Advento, chamado ‘Domingo da alegria’, o Papa Francisco se dirigiu aos fiéis e as crianças reunidas na praça São Pedro e os encorajou com a oração do Angelus. O Papa Francisco também comemorou seus 81 anos de vida neste domingo.

“São Paulo nos convida a preparar a vinda do Senhor assumindo três atitudes: a alegria constante, oração perseverante e a contínua ação de graças”, iniciou o Pontífice.

Sobre a primeira atitude, o Papa exorta: “Vivam sempre contentes”, mesmo quando tudo não acontece da forma que gostaríamos.

“As angústias, as dificuldades e os sofrimentos atravessam a vida de cada um, e tantas vezes a realidade que nos circunda parece ser inóspita e árida, semelhante a um deserto no qual ecoava a voz de João Batista, como recorda o Evangelho de hoje”.

A segunda atitude se baseia na oração perseverante.

“Por meio da oração, – observa o Papa -, podemos entrar em uma relação estável com Deus, que é a fonte da verdadeira alegria. A alegria do cristão não se compra, vem da fé e do encontro com Jesus Cristo, razão da nossa felicidade. Quanto mais estivermos arraigados em Cristo, tanto mais encontraremos a serenidade interior, mesmo em meio às contradições cotidianas”.

Por isso o cristão, – continuou Francisco – “tendo encontrado Jesus, não pode ser um profeta da desventura, mas uma testemunha e um arauto da alegria. Uma alegria a ser compartilhada com os outros; uma alegria contagiosa que torna menos cansativo o caminho da vida”.

Sobre a terceira atitude indicada por São Paulo, disse o Papa, é a contínua ação de graças, ou seja, o amor agradecido a Deus.

“Ele, de fato, é muito generoso para conosco, e nós somos convidados a reconhecer sempre seus benefícios, o seu amor misericordioso, a sua paciência e bondade, vivendo assim em um incessante agradecimento”.

“Alegria, oração e gratidão são três comportamentos que nos preparam para viver o Natal de modo autêntico”.

Neste último período do tempo do Advento, confiemos nossa vida à materna intercessão da Virgem Maria. Ela é “causa da nossa alegria, não somente porque gerou Jesus, mas porque nos envia continuamente a Ele”.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *