Por que devemos rezar pelas almas do purgatório?

No dia 2 de novembro celebramos a memória dos nossos falecidos. A Congregação dos Padres Marianos tem como parte integrante de seu Carisma, rezar pelas almas do purgatório.  Este foi o desejo de Deus colocado no coração do nosso Fundador, o santo Estanislau Papczynski, para que lembrássemos sempre dos nossos falecidos.

Mas, afinal, por que rezar pelas almas do purgatório?

Rezar pelas almas do purgatório é uma obra de misericórdia espiritual – rezar pelos vivos e pelos mortos – que a Igreja pede a cada cristão (Catecismo da Igreja Católica, 2447). Além disso, rezar pelas almas do purgatório é o melhor meio de salvar a nossa própria alma, pois, como nos ensina Santo Ambrósio: “Tudo o que damos para as almas do purgatório converte-se em graças para nós, e, após a morte, encontramos o seu valor centuplicado”.

A existência do purgatório

No Catecismo da Igreja Católica, encontramos uma sólida e clara definição acerca da existência do purgatório:

  • Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida sua salvação eterna, passam, após sua morte, por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do Céu (Catecismo, 1030).
  • A Igreja denomina purgatório esta purificação final dos eleitos, que é completamente distinta do castigo dos condenados. A Igreja formulou a doutrina da fé relativa ao Purgatório sobretudo no Concílio de Florença e de Trento. Fazendo referência a certos textos da Escritura, a tradição da Igreja fala de um fogo purificador: No que concerne a certas faltas leves, deve-se crer que existe antes do juízo um fogo purificador, segundo o que afirma aquele que é a Verdade, dizendo, que, se alguém tiver pronunciado uma blasfêmia contra o Espírito Santo, não lhe será perdoada nem no presente século nem no século futuro (Mt 12,32). Desta afirmação podemos deduzir que certas faltas podem ser perdoadas no século presente, ao passo que outras, no século futuro (Catecismo, 1031).

Santa Faustina, no seu diário, registrou muitas passagens referentes ao purgatório. Destaco aqui uma delas:

“Vi o Anjo da Guarda que me mandou acompanhá-lo. Imediatamente encontrei-me num lugar enevoado, cheio de fogo, e, dentro deste, uma multidão de almas sofredoras. Essas almas rezavam com muito fervor, mas sem resultado para si mesmas; apenas nós podemos ajudá-las. As chamas que as queimavam não me tocavam. O meu Anjo da Guarda não se afastava de mim nem por um momento. E perguntei a essas almas qual era o seu maior sofrimento. Responderam-me, unânimes, que o maior sofrimento delas era a saudade de Deus. Vi Nossa Senhora que visitava as almas no Purgatório. As almas chamam a Maria “Estrela do Mar.” Ela lhes traz alívio. Queria conversar mais com elas, mas o meu Anjo da Guarda fez-me sinal para sair. Saímos pela porta dessa prisão de sofrimento. Ouvi então uma voz interior que me dizia: A Minha misericórdia não deseja isto, mas a justiça o exige. A partir desse momento, me encontro mais unida às almas sofredoras” (Diário, 20).

Essa experiência mística de Santa Faustina nos revela algo muito importante: apenas nós podemos ajudar as almas do purgatório. E como podemos fazer isso? Com nossas orações. Disso concluímos o quanto é importante rezar pelas almas do purgatório.

A oitava de finados

Para nos recordar e nos ensinar que devemos rezar pelas almas do purgatório, a Igreja estabelece uma semana de orações pelas almas. Trata-se da oitava de finados. De 2 a 9 de novembro cada cristão pode alcançar indulgência plenária exclusivamente para os falecidos. A indulgência plenária apaga completamente as culpas e as penas devidas pelo pecado. Esse deve ser um dos grandes motivos que nos impulsiona a rezar pelas almas do purgatório.

Para alcançar a graça da indulgência plenária para uma alma, o fiel deve estar em estado de graça e fazer suas orações no cemitério, rezando nas intenções da Igreja, oferecendo a indulgência por um falecido (pode-se oferecer a indulgência cada dia para um falecido diferente, desta maneira oito falecidos receberão a indulgência).

Vamos começar a rezar pelas almas dos purgatório?!

Sete súplicas a Jesus Cristo pelas almas

 Dulcíssimo Jesus, pelo suor e sangue que derramastes no Horto das Oliveiras,

tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas dores da Vossa crudelíssima flagelação,

tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas dores da Vossa coroação de espinhos,

 tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas dores que sofrestes no caminho do calvário,

tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas dores de Vossa penosíssima agonia,

tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas imensas dores que sentistes expirando na cruz,

tende piedade das almas do purgatório.

Dulcíssimo Jesus, pelas últimas gotas de sangue do Vosso amantíssimo Coração transpassado pela lança,

tende piedade das almas do purgatório.

 

Pe. Ednilson de Jesus, MIC

 

O Diário de Santa Faustina

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*