Filho, eis aí a tua Mãe

Na história da salvação – que não é outra coisa senão a manifestação cada vez mais plena da Divina Misericórdia – a Mãe de Jesus, Maria, ocupa uma posição singular e decisiva, em virtude da sua íntima união com o seu divino Filho Jesus, Redentor do gênero humano, numa generosa e fecunda resposta de fé, esperança e amor ao projeto de vida e felicidade do Seu reino. “A genuína piedade cristã, certamente, nunca deixou de pôr em realce essa ligação indissolúvel e a essencial referência da virgem Maria ao Divino Salvador”, recordou o Papa Paulo VI na sua importante Exortação apostólica O Culto Mariano, de 1974 (n. 25; cf. n. 20; também Lumen Gentium, 66), um dos mais importantes documentos eclesiais sobre Maria.

  Em sua vida e piedade, cada cristão é chamado a acolher a Mãe de Deus como um dos mais preciosos tesouros que o Senhor nos confiou. “Filho, eis aí a tua Mãe” (Jo 19,27s) – declarou Jesus solenemente no altar da cruz, o que a tradição cristã sempre compreendeu como a Sua entrega (tradítio) à humanidade através da Igreja, ali representada pelo apóstolo João. É por isso que desde os primeiros tempos há de florescer no povo de Deus a consciência de que Maria é alguém muito especial, sendo por isso designada como “nova Eva”, “toda Santa”; os fiéis não hesitarão, por conseguinte, em recorrer à sua intercessão e imitar as suas virtudes. Quanto mais nos unimos a Cristo pelo Espírito, tanto mais descobrimos as Suas insondáveis riquezas, e somos assim conduzidos a exclamar como Isabel: “Bendita és tu entre as mulheres!”

 

 

Consagração ao Coração Imaculado

Santíssima virgem Maria, movido pelo ardente desejo de amar-vos como Mãe querida e promover uma terna devoção ao vosso Coração Imaculado, digníssimo de todo amor e veneração, e tão transpassado de dor pelas blasfêmias e ingratidões dos homens; humildemente me prostro aos vossos pés, e ao vosso Coração Imaculado consagro para sempre o meu corpo, a minha alma, a minha vida, o meu coração e todo o meu ser. Aceitai, Mãe amorosíssima esta consagração e guardai-me sempre em vosso Coração materno. Oh! minha terna Mãe, em vós confio, quero amar-vos sempre mais e servir-vos com toda fidelidade. Abençoai-me, protegei-me e preservai- -me de todo o mal. Amém.

 

 

(Apresentação/prefácio adaptado e Oração extraída do Devocionário Mãe de Deus – publicado pela Editora Apostolado da Divina Misericórdia)

 


 No devocionário Mãe de Deus você encontra as mais tradicionais orações da Igreja à mãe de Deus, bem como a indicação de importantes ensinamentos da Igreja sobre a Virgem Santíssima. Uma vez que só amamos aquilo que conhecemos, como nos diz Santo Agostinho, incentivamos os leitores a buscarem conhecer mais a Mãe de Deus, por meio dos documentos propostos.

Clique aqui e adquira agora o seu!