Memória litúrgica do bem-aventurado Jorge Matulaitis-Matulewicz

Hoje, os Padres Marianos da Imaculada Conceição celebram a memória litúrgica do bem-aventurado Bispo Jorge Matulaitis, o Padre Renovador da Congregação fundada por Santo Estanislau de Jesus e Maria Papczyński.

Conheça a biografia do Bem-Aventurado Bispo Jorge Matulaitis

Bispo Jorge Matulaitis (Matulewicz) foi um homem que amou profundamente Cristo e a Igreja. Veio ao mundo numa pobre família lituana no dia 13 de abril de 1871 na aldeia de Lugine, nas proximidades de Mariampol, na província de Suwalki. Perdeu os pais ainda na infância. Apesar da saúde frágil (inicio de tuberculose), estudava e ajudava aos irmãos na propriedade paterna. Em seu coração brotou o desejo de tornar-se sacerdote. Em 1891 ingressou no seminário religioso de Kielce. Foi ordenado sacerdote no dia 20 de novembro de 1898 em Petersburgo e, após voltar a Kielce, entregou-se com grande entusiasmo ao trabalho pastoral.

Em 1909, percebendo a necessidade de salvar a vida religiosa, sistematicamente destruída na zona de ocupação russa, ingressou na Ordem dos Marianos e, em segredo diante das autoridades imperiais russas, iniciou a renovação e reforma da Ordem que se extinguia. Em 1910 o Papa Pio X ratificou as novas Constituições Marianas e aprovou a reforma iniciada. Em 1911, foi nomeado Superior Geral da Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição, e lutou para recuperar as casas e os terrenos tomados pelo Estado.

Em 1918 o Pe. Jorge foi nomeado Bispo da diocese de Vilna. Cumpriu as tarefas que lhe foram confiadas com o zelo de um bom pastor por sete anos, de acordo com o seu lema episcopal: “Vence o mal com o bem”. Durante todo esse tempo exercendo a função de Superior Geral da Congregação dos Marianos.

Dom Jorge faleceu de apendicite aguda no dia 27 de janeiro de 1927, com a idade de 56 anos. A sua vida piedosa permaneceu na lembrança dos marianos e das pessoas que com ele colaboraram. Em 1953 foi aberto o seu processo de beatificação, que foi concluído em 1982. Alguns anos depois foi reconhecida uma cura milagrosa por intercessão do Servo de Deus Dom Jorge, o que abriu o caminho à beatificação, que foi realizada por João Paulo II no dia 28 de junho de 1987 em Roma, durante a solenidade dos 600 anos de aceitação do cristianismo pala nação lituana.