Padres Marianos e a Divina Misericórdia

Os Padres Marianos são os pioneiros e os zeladores da Divina Misericórdia no mundo.

Cultivam e propagam a devoção a Jesus misericordioso ao longo de décadas. Mas você sabe quem são os Marianos e qual a ligação deles com Santa Faustina?

Essa é uma história de fé e perseverança. No entanto, para entendê-la, é preciso atravessar gerações até um período triste para a humanidade: a Segunda Guerra Mundial.

Histórico

Um ano após a morte da Irmã Maria Faustina Kowalska, em outubro de 1938, a guerra eclodia na Europa. Na época, já circulavam livretos e santinhos de Jesus misericordioso entregues por coirmãs de Faustina.

No meio do horror da guerra, algumas pessoas pediam proteção e ajuda à Divina Misericórdia, inclusive Padre Józef Jarzębowski, membro da Província Polonesa dos Marianos. Após fugir da Polônia e se refugiar na casa dos Padres Marianos da Lituânia, o religioso obteve um visto para os Estados Unidos.

Porém, a guerra fechou as fronteiras e Padre Jarzębowski não conseguiu deixar a Lituânia. O visto expirou e, para complicar a situação, os soviéticos exigiam uma autorização para sair do país. Até que um dia o padre encontrou soldados poloneses refugiados e conheceu dois sacerdotes que foram alunos de Padre Miguel Sopocko, que tinha sido diretor espiritual de Irmã Faustina.

Foi através desses sacerdotes que Padre Jarzębowski conheceu a Novena da Divina Misericórdia. Contudo, o religioso se mantinha cético, mesmo com notícias de pessoas que tinham alcançado graças em situações impossíveis, através da devoção à Divina Misericórdia.

Em junho de 1940, quando o exército soviético invadiu a Lituânia, a situação do padre piorou e ele teve de permanecer na casa dos Marianos em Mariampol. Um mês depois, o local foi tomado pelos russos.

Só então, aconselhado por um seminarista, o padre começou a rezar para Jesus misericordioso. Pedia proteção. O religioso ainda tentou obter novamente uma autorização para viajar, mas não teve sucesso.

No entanto, de posse de uma cópia da Novena e do santinho de Jesus misericordioso, Padre Jarzębowski voltou a pedir autorização aos soviéticos e, dessa vez, milagrosamente, conseguiu. Nem o fato de ter o visto expirado impediu a viagem.

Antes de embarcar, Padre Jarzębowski recebeu do Padre Sopocko um memorando escrito sobre a Divina Misericórdia, com o título “De misericordia Dei deque eiusdem festo instituendo” (Sobre a misericórdia de Deus e o estabelecimento de sua festa).

A guerra fez o religioso cruzar a Rússia até chegar ao Japão. Ele escapou milagrosamente da morte e, enfim, se encontrou com os Padres Marianos nos EUA.

12_porta_porta_seja_dovulgador

Propagação pelo mundo

A devoção à Divina Misericórdia iniciou na Polônia e foi levada, pelo Padre Jarzębowski, para os Estados Unidos em 1941, de onde foi propagada para o mundo. Na época, Padre Józef Łuniewski, MIC (fundador da província americana dos Padres Marianos), recebeu a mensagem e, com o parecer favorável do Núncio Apostólico, encaminhou o memorando escrito pelo Padre Sopoćko para todos os bispos norte-americanos e centros universitários do país.

Os imigrantes poloneses foram os primeiros a acolher a devoção a Jesus misericordioso e passaram a trocar correspondências com os Padres Marianos. Designado para responder essas correspondências, um seminarista do terceiro ano de Teologia chamado Władysław (“Walter”) Pelczyński percebeu que era preciso promover a devoção à Divina Misericórdia na língua inglesa. Em 1942, imprimiu santinhos de Jesus misericordioso com legendas em inglês.

Depois, também traduziu o memorando do Padre Sopoćko, a Novena e o Terço da Divina Misericórdia e enviou os materiais a familiares e conhecidos. Nascia o futuro Apostolado da Divina Misericórdia.

A devoção e a propagação da Divina Misericórdia alcançaram o mundo inteiro, de modo especial, com a mediação do Papa João Paulo II. Antes, durante quase 60 anos, os Padres Marianos foram fiéis e fervorosos defensores e propagadores dessa devoção – que foi “entregue em suas mãos” – de uma maneira extraordinária pela Providência Divina.

Nos tempos em que a devoção à Divina Misericórdia era banida na Igreja – cumprindo as profecias da Santa Faustina (Diário 378) –, e quando, devido a razões políticas, eram impossíveis os contatos com os teólogos na Polônia, os Marianos elaboravam a base teológica.

Primeiro, a devoção foi divulgada nos Estados Unidos, depois Inglaterra, México, Portugal, Brasil e Argentina. Só então nas missões africanas de Ruanda e Camarões. Após, os Marianos retornaram aos países do antigo bloco soviético: Lituânia, Letônia, Estônia, Ucrânia, Cazaquistão, República Tcheca e Eslováquia. Por fim, também desembarcaram no continente asiático ‒ nas Filipinas.

11_loja_santuario

Devoção chega ao Brasil

A devoção à Divina Misericórdia ganhou impulso com o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Quatro anos depois, livretos em português e espanhol já circulavam pelo Brasil, inclusive “Jesus confiamos em Vós” ‒ tradução da obra do confesso de Irmã Faustina, feita pelo Padre Józef Andrasz, SJ.

Contudo, em 1964, os Padres Marianos iniciaram a chamada missão brasileira, com o objetivo de propagar a devoção à Divina Misericórdia pelo país. Essa missão apoiava-se em textos originais providenciados pelo Apostolado dos Estados Unidos.

Quem são os Padres Marianos

A Congregação dos Padres Marianos da Imaculada foi fundada, em 1673, pelo bem-aventurado Padre Estanislau Papczynski. Os Marianos são fiéis a Cristo e professam os votos de pobreza, castidade e obediência ao Pai. A cada dia procuram imitar e permitir que Jesus mostre o caminho.

Aberto a todo tipo de serviço, a Congregação dedica atenção especial à educação e à catequese católica, além do ministério sacerdotal e apoio às paróquias. Há um esforço para tornar o apostolado mariano criativo e flexível, ou seja, sensível aos sinais dos novos tempos.

Os Padres e Irmãos Marianos seguem a Cristo e difundem o seu reino, tendo como modelo Maria Imaculada. Unem a vida interior com o intenso trabalho apostólico e missionário. Crescem no amor a Deus e ao próximo pela prática dos conselhos evangélicos, vivendo em comunidade fraterna.

Se você deseja conhecer os Padres Marianos e se tornar devoto da Divina Misericórdia, acompanhe nosso site e fique por dentro de todas as novidades.

11_acesse_padres_marianos