Papa pede paz no Oriente Médio

No último sábado, 07/07, Papa Francisco realizou um encontro ecumênico de reflexão, de oração em conjunto e denúncias dos interesses que impedem a paz no Oriente Médio. A união de líderes de diversas religiões aconteceu na cidade de Bari, na Itália. Após o encontro, o Pontífice se disse estar feliz pela ocasião.

“Dou graças a Deus por este encontro, que foi um sinal eloquente de unidade dos cristãos, com a participação entusiasmada do povo de Deus. Agradeço mais uma vez aos Irmãos líderes das Igrejas e aos seus representantes; fiquei realmente edificado com suas atitudes e seus testemunhos; agradeço ao Arcebispo de Bari, aos colaboradores e a todos os fiéis que nos acompanharam e apoiaram com a oração e a alegre presença”, comenta Francisco.

Em um dos seus pronunciamentos, o Papa afirma que a indiferença também mata e que o dever da igreja é dar voz aos que ficam calados. “Devemos deixar as riquezas de lado. Imploremos a Deus a paz para os pequeninos, os simples, os feridos. Que Deus atenda a nossa oração”, conclui Francisco.

Ao término da reunião, o Santo Padre pronunciou um discurso conclusivo, no Sagrado da Basílica de São Nicolau, dizendo novamente estar feliz pelo encontro que os ajudou a redescobrir a presença de cristãos no Oriente Médio. “Esta presença será mais profética se testemunharmos Jesus, Príncipe da paz. Como Igreja, somos tentados, pelas lógicas de poder e lucro, resolutivas e de conveniência. Nosso pecado é a incoerência entre a fé e a vida, que obscurece nosso testemunho cristão”, afirma o Pontífice.

Por fim, o Papa dirigiu seu pensamento a Jerusalém, cidade de todos os povos, cidade única e sagrada para cristãos, judeus e muçulmanos do mundo inteiro, cuja identidade e vocação devem ser preservadas, conforme a deliberação da Comunidade Internacional e das Comunidades cristãs da Terra Santa. “Somente uma solução negociada, entre Israelenses e Palestinos, firmemente desejada e favorecida pela Comunidade das Nações, poderá contribuir para uma paz estável e duradoura e garantir a coexistência de dois Estados para dois Povos”, conclui o Papa.

Confira abaixo um trecho da fala de Papa Francisco após o encontro.

Fonte: Vatican News