Segunda Palestra – 16º Congresso Nacional da Divina Misericórdia

SEGUNDA PALESTRA

Frei Clodovis Boff – Maria, Mulher de fé

Maria foi declarada Mulher de fé por sua prima Santa Isabel, e ficou muito feliz por isso.

O que precisa para ser feliz? Precisamos de fé. E o que nos dá fé? Deus.
Permitir que Deus invada a nossa vida só pode trazer a sua paz, o seu amor, sua libertação e felicidade.

 

A fé como auto entrega

Maria quer, está disposta a entregar-se completamente a Deus. Por meio do anjo Gabriel, Deus pediu o consentimento de Maria pra gerar o verbo divino, e ela disse: faça-se em mim segundo a tua palavra.

“A fé é se entregar”, (Concílio Vaticano II, numero 5). Entregar a si mesmo totalmente. Maria se doou de corpo, alma, coração e todos os momentos da vida foram a serviço de Deus.

Entregar-se às obras de Deus, à ação de Deus é o que nos salva. Isso é a fé, deixar que Deus trabalhe em nós.

Maria foi a fé encarnada. E Deus a fez Imaculada, Assunta ao céu, a obra-prima do Criador.

 

Fé como caminhada

A fé é uma caminhada sofrida, se entregar é custoso, mas é um ato de grandeza, de coragem.

Muitas coisas Maria não compreendia de Jesus, como quando ainda criança Jesus sumiu e estava no templo. Então ela meditava. A meditação é o trabalho da fé dentro de nós.

“Maria avançou em peregrinação de fé”, (Concílio Vaticano II, número 56)

 

A Divina Misericórdia é um mar sem praias, é um mar sem fim. Quanto mais você estuda mais você compreende.

O Papa João Paulo II escreveu no documento A Mãe do Redentor: Maria, debaixo da cruz participou da noite da fé mais terrível da história da humanidade, junto com seu filho que se sentia abandonado por Deus.

O filho de Deus estava morrendo, o homem mais puro que pisou na terra. Mas em obediência, Maria entregou o seu filho a Deus, com a alma ferida. Debaixo da cruz a fé de Maia chegou ao auge.

 

O poder transformador da fé

A fé nos torna novas criaturas. Quando começamos a crer tudo começa a acontecer. Como na história do centurião.

A misericórdia de Deus restaura, renova, recria completamente. A misericórdia traz a renovação em profundidade da alma, a medida em que deixamos Deus trabalhar.

 

Como Maria é Imaculada e redimida?

O fato de Maria ter sido criada Imaculada mostra que a força do redentor da cruz foi maior que o pecado.

Nós precisamos ser batizados para receber a graça da regeneração. Em Maria, filha de Eva, a ação de Deus impediu que ela fosse marcada pelo pecado, por isso é Imaculada. O mesmo acontece na Assunção.

Maria não nasceu no pecado. Assim a graça de Deus atuou de maneira mais esplêndida.

Por este motivo, no Magnificat Maria dizia: O Senhor fez em mim maravilhas.

Tudo o que o Senhor faz é para o nosso benefício. O poder da graça é maior que o poder do pecado. Maria foi agraciada com a misericórdia divina e salva do pecado original.