Um bom conselho

Padre Papczynski, em sua obra Templum Dei Misticum – O Templo Místico de Deus, expõe ensinamentos sobre as obras de misericórdia corporais e espirituais. Neste artigo vamos refletir sobre as obras que dizem respeito não ao corpo, mas à alma.

santo-estanislau
Seguindo os ensinamento da Igreja católica para o nosso crescimento na fé enumeramos as obras espirituais de misericórdia da seguinte maneira: dar bom conselho, ensinar os ignorantes, corrigir os que erram, consolar os tristes, perdoar as injúrias, sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo e rogar a Deus pelos vivos e pelos mortos. Pe. Papczynski, porém, assim como quando listou as obra corporais, listou as obras espirituais de outra maneira. Vejamos como ele o fez.

Obras espirituais de misericórdia
A primeira obra de misericórdia espiritual é: Consilium dare indigenti, ou seja, aconselhar quem tem necessidade de conselho. Habitualmente, refere-se aos que têm dúvidas, que têm necessidade de conselho. Pe. Papczynski afirma que mentis optimae est, isto é, é de ótima índole dar conselho sincero e salutar. Ele afirmava: “Deus criou os sábios, a fim de que os não sábios [isto é, os homens com pouca capacidade de discernimento] sejam ajudados e dirigidos por eles”.

Verdadeiramente piedoso é quem o faz sem ambicionar e procurar recompensa. Porque às vezes um reto conselho, afirma Pe. Estanislau, ajuda mais do que vários subsídios pecuniários. Muitos se precipitariam ao inferno se não encontrassem ótimos conselheiros; não poucos se perderiam não fosse o conselho de outrem.

“Por isso, exorta o nosso autor, deem os peritos o conselho no foro de consciência, no foro dos assuntos públicos, na cúria, nos campos militares; o conselho que achem mais salutar e útil, e o façam movidos pela caridade e, então, com esta exímia virtude, proverão também muito à própria salvação. ”

Pe. Papczynski afirma que os que procuram alcançar a per¬feição, se se servem de ótimos conselheiros, fazem o máximo progresso nela e ilustram a Igreja inteira com as suas obras. Isto vê-se, segundo ele, na vida de Santa Teresa de Ávila: “Quantas grandes coisas, afirma ele, fez na Igreja a virgem Teresa, a qual se serviu, para além do Espírito Santo, de ótimos conselheiros!” E menciona um deles, São Pedro de Alcântara, o qual “não só a ela, mas a muitos outros com os seus conselhos promovit ad astra, isto é, fez avançar até ao Céu, aos cumes da virtude.

Por isso, afirma ele, “devem-se derramar os dons do Espírito San¬to. Seria inveja e malícia se alguém recusasse mostrar justas e honestas coisas àquele que deseja sabe-las”. E, por fim, admoesta contra a avareza da qual é movido “quem quer receber recompensa pelo seu conselho”.

Pe. Leporini (primeiro biografo do Pe. Papczynski), afirma que Pe. Papczynski era conhecido como Vir Consiliorum, isto é, homem famoso pelos seus conselhos, visto que pessoas das mais diversas “condição e sexo iam a ele como a um oráculo e regressavam satisfeitos, dando graças a Deus”.

Pe. Casimiro Krzyzanowski,MIC
Capítulo tirado do livro: Obras de Misericórdia