Noviciado

O noviciado é a etapa em que o candidato inicia a vida religiosa na nossa Congregação. Esse período permite que ele analise melhor a sua vocação e decisão de servir a Cristo e à Igreja de acordo com o espírito do Fundador e do Renovador, bem como lhe proporciona a possibilidade de conhecer mais de perto e mais a fundo o estilo de vida que é próprio do espírito e da natureza da nossa Congregação.

Durante o noviciado, o noviço conta com a possibilidade de um conhecimento mais profundo e pessoal de Jesus Cristo e de assumir o radical compromisso de seguir os passos de Cristo na vocação mariana. Visto que o noviciado é em princípio um tempo de intensa oração, reflexão e isolamento, normalmente realiza-se num ambiente tranqüilo, que favoreça a solidão e a oração. Para ser canonicamente válido o tempo do noviciado na nossa comunidade deve durar no mínimo um ano completo.
Nesta etapa os noviços contam com a presença e a direção do mestre do noviciado que se torna uma ajuda crucial e indispensável. Através das suas palavras e ações o mestre do noviciado é um modelo vivo da vida mariana. Graças à sua direção e aos ensinamentos, o noviço molda a sua identidade básica como mariano. De outro lado, ao ingressar no noviciado, o noviço assume voluntariamente um sério compromisso. Ninguém mais senão ele mesmo pode dizer “sim” ao chamado de Deus. E, embora a Congregação tenha a obrigação de lhe ajudar a se encontrar como mariano, principalmente através da assistência diretiva dos formadores, é ele mesmo o responsável final pela sua formação e pala perseverança no propósito tomado.

PÓS-NOVICIADO

Após a primeira profissão, a formação de todos os jovens religiosos continua, de maneira que possam aprender a concretização da sua vocação mariana com uma maturidade cada vez maior e para que possam idoneamente participar da missão mariana com um proveito cada vez maior. Essa etapa é uma continuação da formação básica dura não menos que três anos e geralmente não mais que seis.

Um objetivo importante dessa etapa é que os professos desenvolvem e aprofundam o conhecimento a respeito do estilo de vida mariano trazido do noviciado. Trata-se também de eles fortalecerem e desenvolverem em si a capacidade de realizar o nosso carisma, a fim de que sejam introduzidos em diversas obras do apostolado mariano e atinjam uma maturidade humana e espiritual que é exigida para a admissão à profissão perpétua.

O professo aprofunda a sua fidelidade a Cristo e à sua vocação pela reflexão sobre a realidade da vida à luz de estudos filosófico-teológicos, que, na Província Brasileira estão sendo realizados no Seminário Maior em Curitiba, PR.

A formação intelectual é a tarefa fundamental desse período serve à vida religiosa mais intensa tanto na dimensão de devotamento a Deus como na do serviço à Igreja. Uma ampla ciência e compreensão serão para o professo úteis na fé. Eles se formam para apresentar e encarar a fé católica e o carisma mariano nas diversas formas de apostolado e nos diversos ambientes em que será exercido seu futuro ministério.

Esta etapa de formação caracteriza-se não só pelo desenvolvimento humano e intelectual mas é compreendida como um processo de contínua conversão das mentes e dos corações dos professos. Ela se focaliza no mistério pascal de Cristo, refletido na liturgia, na tradição e na vida da Igreja, bem como na tradição e no carisma da Congregação dos Padres Marianos. Desta forma a comunidade seminarística é, sobretudo, uma comunidade de oração. A Eucaristia diária, a Liturgia das Horas, o sacramento de penitência e reconciliação, a oração comunitária a meditação e leitura diária da Sagrada Escritura, o cultivo da devoção pessoal à Santíssima Virgem Maria, a recitação diária do Rosário, entre  outros, fazem do seminário um ambiente de conversão e de crescimento na fé.