Bem-Aventurado Bispo Jorge Matulaitis-Matulewicz

Jorge-MatulaitisNascido em 13 de abril de 1871, em Lūginė, foi o último de oito filhos. Em 1889, mudou-se para a Polônia, sendo esse o motivo pelo qual trocou seu sobrenome por Matulewicz. Após completar os estudos necessários, foi ordenado sacerdote em 20 de novembro 1889. Em 1911, foi nomeado Superior Geral da Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição, e lutou para recuperar as casas e os terrenos tomados pelo Estado. Nomeado Bispo de Vilnius em 1 de dezembro 1918, deixou a pasta em 1925 para dedicar-se novamente à Congregação. O Papa Bento XV, então, nomeou-o Arcebispo titular de Adulis. Visitou 92 paróquias nos EUA. Faleceu de apendicite aguda em 27 de janeiro de 1927, e foi enterrado na Catedral de Kaunas. Em 1934 o corpo foi translado para a igreja de Marijampolé.
Em 28 de junho 1987, João Paulo II proclamou-o beato.

Apaixonado pela Igreja – Biografia do Bem-Aventurado Bispo Jorge Matulaitis-Matulewicz

O bem-aventurado Jorge Matulaitis (Matulewicz) foi um homem que amou profundamente Cristo e a Igreja. Essa única frase resume a sua vida extraordinária mas extremamente difícil.

Veio ao mundo numa pobre família lituana no dia 13 de abril de 1871 na aldeia de Lugine, nas proximidades de Mariampol, na província de Suwalki. Perdeu os pais ainda na infância. Apesar da saúde frágil (inicio de tuberculose), estudava e ajudava aos irmãos na propriedade paterna. Em seu coração brotou o desejo de tornar-se sacerdote. Em 1891 ingressou no seminário religioso de Kielce. Foi ordenado sacerdote no dia 20 de novembro de 1898 em Petersburgo e, após voltar a Kielce, entregou-se com grande entusiasmo ao trabalho pastoral.

Depois de alguns meses de trabalho, uma penosa dor na perna fez com que o Pe. Jorge tivesse de deixar a paróquia para viajar à Alemanha, a fim de fazer um tratamento especial. Terminado o tratamento, foi encaminhado a continuar seus estudos em Friburgo, na Suíça. Apesar da tuberculose óssea, concluiu os estudos em 1902, voltou a Kielce e começou a dar aulas de direito canônico e de latim no seminário local.

Em 1904, em razão do estado de saúde que se deteriorava, o Pe. Jorge mudou-se para Varsóvia. Ali desenvolveu atividade social entre os operários e juntamente com o Pe. Marcelo Godlewski fundou, em 1905, a Associação dos Operários Cristãos. No outono de 1907 começou a trabalhar na Academia Religiosa de Petersburgo, onde dava aulas de sociologia e de teologia dogmática.

Percebendo a necessidade de salvar a vida religiosa, sistematicamente destruída na zona de ocupação russa, em 1909 ingressou na Ordem dos Marianos e, em segredo diante das autoridades imperiais russas, iniciou a renovação e reforma da Ordem que se extinguia. Em 1910 o Papa Pio X ratificou as novas Constituições marianas e aprovou a reforma iniciada.

Em 1918 o Pe. Jorge foi sagrado Bispo da diocese de Vilna. Cumpriu as tarefas que lhe foram confiadas com o zelo de um bom pastor por sete anos, de acordo com o seu lema episcopal: “Vence o mal com o bem”. Durante esse tempo todo desempenhou também a função de Superior Geral da Congregação dos Marianos. Em 1925 o Papa dispensou Dom Jorge das tarefas de ordinário de Vilna, mas em breve confiou-lhe a função de Visitador Apostólico na Lituânia, para que organizasse a administração eclesiástica e preparasse a concordata.

Dom Jorge faleceu inesperadamente no dia 27 de janeiro de 1927, com a idade de 56 anos. A sua vida piedosa permaneceu na lembrança dos marianos e das pessoas que com ele colaboraram. Em 1953 foi aberto o seu processo de beatificação, que foi concluído em 1982. Alguns anos depois foi reconhecida uma cura milagrosa por intercessão do Servo de Deus Dom Jorge, o que abriu o caminho à beatificação, que foi realizada por João Paulo II no dia 28 de junho de 1987 em Roma, durante a solenidade dos 600 anos de aceitação do cristianismo pala nação lituana.

O dom da beatificação do Bispo Dom Jorge é valioso para toda a Igreja. Necessitamos de um modelo de vida dedicada inteiramente a Cristo em Sua Igreja. O bem-aventurado Jorge estimula-nos a um zeloso e generoso serviço em prol da Igreja. O exemplo da sua vida estimula a uma fidelidade total a Deus, apesar das adversidades, dificuldades e perseguições.

 

Oração pela Canonização do bem-aventurado Jorge

Santíssima e indivisível Trindade, que nos corações dos Vossos servos fiéis escolheis a Vossa morada e após a morte recompensais os seus méritos com a glória do céu, fazei, nós Vos pedimos, que o Vosso servo, o bem-aventurado Jorge, que, sob a proteção da Imaculada Virgem Maria, com zelo apostólico serviu fielmente à Igreja, seja incluído no número dos santos. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

Ladainha ao bem-aventurado Jorge

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus, Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós
Bem-aventurado Jorge, bispo da Santa Igreja,
Fiel imitador de Cristo,
Obediente ao Espírito Santo,
Instrumento escolhido da Providência Divina,
Intrépida testemunha da fé,
Profundamente dedicado a Maria Imaculada,
Fiel filho da Igreja,
Espelho de amor à Igreja,
Fiel e obediente ao Santo Padre,
Glória da terra lituana e polonesa,
Bondoso e sábio pastor,
Propagador da renovação do espírito,
Defensor da fé católica,
Renovador e fundador de comunidades religiosas,
Protetor das vocações religiosas,
Patrono de padres e bispos,
Amigo e defensor dos operários,
Educador e mestre da juventude,
Varão de fé firme,
Modelo de dedicação ao trabalho e de piedade,
Amante da humanidade e da mansidão,
Admirável amante da cruz,
Exemplo de paciência e de equilíbrio,
Resplandecente de alegria espiritual e de paz,
Religioso cheio de zelo,
Sábio guia no caminho da vida religiosa,
Promotor da paz entre os homens e as nações,
Patrono de nações desavindas,
Incansável mestre do Evangelho,
Modelo de bondade para os inimigos,
Pastor em busca das almas perdidas,
Pai e defensor dos órfãos,
Consolador dos doentes e dos pobres,
Defensor da dignidade humana,
Modelo de santidade nos nossos tempos,
Intercessor diante de Deus pelas nações da Lituânia e da Polônia,
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

V. Rogai por nós, bem-aventurado Jorge.
R. Para que nos tornemos dignos das promessas de Cristo.

Oremos:
Deus, que no coração do bem-aventurado Jorge, bispo, acendestes a chama do amor a Cristo e à Igreja, fazei, nós Vos pedimos, que pelo seu exemplo e pela sua intercessão imitemos diligentemente Vosso Filho e fortaleçamos o Seu Corpo Místico. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

Se você alcançar alguma graça por intercessão de um dos Beatos ou Servos de Deus da Congregação dos Marianos, por favor escreva para:

Pe. Mateus Jastrzębski, MIC – Vice-Postulador
Rua Âncora, 107, Cocotá, Ilha do Governador
CEP 21910-340 – Rio de Janeiro-RJ


Secretaria do Santuário da Divina Misericórdia
Endereço: Estrada do Ganchinho, 570, Umbará, Curitiba-PR, CEP 81930-165
Fone: (41) 3148-3200
E-mail: [email protected]

Horários de atendimento:
Terça à sexta
8h às 12h e 14h às 18h
Sábado
8h às 12h.