Ensinamentos de Santa Faustina para um Natal misericordioso

Foto: iStock

Restam poucos dias do Advento, logo estaremos desejando aos outros um “Feliz Natal”. Você já parou para pensar no verdadeiro motivo deste tempo? E se decidíssemos, durante estes dias restantes do Advento, aumentar nossa disposição para preparar-nos bem para celebrar um “Natal de Misericórdia”? O que isso significaria para cada um de nós?

 

Você pode começar cultivando certas atitudes em sua mente e coração. Santa Faustina, a grande Apóstola da Divina Misericórdia, pode nos mostrar o caminho. Este tipo de preparação espiritual deixará seu coração pronto para receber o Menino Jesus no Natal – para segurá-lo perto de seu coração. Considere esses pontos:

 

  1. Deus quer que cresçamos em alegria e admiração pela vinda de Seu Filho, a Misericórdia Encarnada. Então, nossos corações estarão preparados para recebê-Lo no Natal.

Ao analisarmos com admiração o mistério de Deus se fazer homem em Jesus, devemos contemplar o Seu grande amor e misericórdia para conosco na Encarnação. Santa Faustina fala deste mistério da “Misericórdia Encarnada” e diz-nos que até “o céu se maravilha” com ele:

“O Verbo se faz Carne — Deus habitou entre nós, o Verbo de Deus — a Misericórdia Encarnada. Vós nos elevastes à Vossa Divindade pela Vossa humilhação. É o excesso do Vosso amor, é o abismo da Vossa misericórdia. Assombram-se os céus com esse excesso do Vosso amor, agora ninguém teme aproximar-se de Vós. Sois o Deus de misericórdia, tendes compaixão da nossa miséria. Sois nosso Deus, e nós, o Vosso povo.” (Diário de Santa Faustina, 1745).

 

Em uma oração silenciosa, aproxime-se desse Deus de misericórdia que tem tanta compaixão por sua miséria. Tente minimizar as distrações em sua programação diária. Passe algum tempo diante do Senhor, reflita sobre o amor de Deus por você ao enviar Seu Filho. Ao acordar e adormecer reserve alguns minutos para agradecer a Deus pelo grande presente de Seu Filho. Peça a Ele para enchê-lo de alegria e admiração ao se preparar para a vinda de seu Salvador no Natal.

Considere a maravilha e a alegria de Santa Faustina ao encontrar o Menino Jesus na véspera de Natal de 1937:

“Quando vim para a Missa do Galo, já no começo da santa Missa, mergulhei toda em profundo recolhimento e vi a gruta de Belém repleta de muita luz. A Virgem Santíssima envolvia Jesus em faixas, inteiramente absorta em grande amor, mas São José ainda dormia. Foi somente quando a Mãe de Deus acomodou Jesus na manjedoura que a claridade de Deus acordou São José que também se pôs a rezar. Porém, em seguida, fiquei a sós com o Menino Jesus que estendia para mim os Seus bracinhos, e compreendi que era para eu tomá-Lo em meus braços. Jesus recostou a Sua cabecinha em meu coração e com o Seu profundo olhar me deu a conhecer que estava sentindo-se bem junto ao meu coração.” (Diário, 1442).

 

  1. Nosso Senhor deixou o céu e se tornou uma criança por nossa causa. Seguindo Seu exemplo, Ele nos convida a nos tornarmos como criancinhas, crescendo em uma confiança infantil em Deus.

Todos nós facilmente esquecemos que a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade deixou de lado Sua glória e majestade para se tornar pequena por nossa causa. É um convite para confiarmos no plano de Deus para nossas vidas também.

Foto: iStock

Santa Faustina teve uma visão poderosa após a Sagrada Comunhão em que o véu foi levantado e ela reconheceu o Menino Jesus como o Senhor do universo:

“Vi de repente o Menino Jesus, em pé ao lado do meu genuflexório, apoiando-se nele com ambas as mãozinhas. Embora fosse um Menino, o temor e o medo invadiram a minha alma, pois vejo Nele meu Juiz, Senhor e Criador, diante de Sua santidade tremem os anjos. Por outro lado, a minha alma foi inundada por um amor inconcebível; pareceu-me que estava morrendo sob a sua influência. Vejo agora que primeiro Jesus fortalece a minha alma e depois a torna capaz de conviver com Ele, porque de outra forma não suportaria o que experimento em determinados momentos”. (Diário, 566).

Observe como o Senhor primeiro fortalece Ir. Faustina para que ela possa permanecer com Ele e suportar esta experiência mística. Dito de outra forma, foi o seu amor e confiança no Senhor que a capacitaram a perceber a grandeza do Menino Jesus precisamente na sua pequenez.

Não é nenhuma surpresa, então, que o Menino Jesus venha a Ir. Faustina na Missa em outra visão para ensinar sua infância espiritual – para pedir-lhe que se torne pequena como Ele:

“Hoje, durante a santa Missa, vi junto ao meu genuflexório o Menino Jesus, como se tivesse um ano de idade, e Ele me pedia que O pegasse nos meus braços. Quando O tomei nos braços, reclinou-se no meu coração e me disse: Sinto-Me bem junto do teu coração. Porque quero ensinar-te a infância espiritual. Quero que sejas muito pequena, porque, quando és pequena, Eu te carrego junto ao Meu Coração, da mesma maneira como tu neste momento Me seguras junto ao teu coração.” (Diário, 1481).

 

  1. À medida que nos tornamos pequenos e humildes diante do Senhor, podemos buscar deleitar Seu Coração realizando obras de misericórdia para os necessitados. Se possível, podemos até mantê-las em segredo para que sejam conhecidas apenas pelo Senhor.

Existem inúmeras oportunidades para realizar obras de misericórdia nesta época do ano. Ainda há tempo nestes últimos dias do Advento.

Como o Senhor está nos convidando, durante esses dias restantes do Advento, a nos tornarmos pequenos em Sua presença? Talvez Ele esteja nos pedindo para abandonar nossos próprios planos de um Natal perfeito e nos concentrar mais em amá-Lo e amar a nossa família em um espírito de simplicidade e humildade. Isso pode significar deixar de ter a casa perfeitamente limpa, todos os presentes embrulhados ao nosso gosto e preparar todas as comidas festivas de nossa lista.

Ou talvez Jesus esteja nos convidando a lembrar do amigo ou membro da família que tendemos a negligenciar durante os feriados. Nesse caso, podemos engolir nosso orgulho e fazer questão de contatá-los?

Seja qual for a nossa situação, se nos tornarmos pequenos, o Senhor Jesus no Natal será capaz de nos levar para perto do Seu Coração – tal como fez com Santa Faustina.

  1. Apresente o seu coração ao Menino Jesus no dia de Natal. E aqui estão algumas dicas para comemorar o grande dia e toda a época do Natal.

Depois de se preparar espiritualmente para o Natal e, em seguida, realizar obras de misericórdia por amor ao Menino Jesus, entre na alegria da época no dia de Natal. Ofereça a Ele o presente do seu coração – a sua própria vida – em gratidão pela grande dádiva de Si mesmo a você.

Foto: iStock

Partilhe a mesma alegria dos pastores no primeiro Natal:

“Havia pastores naquela região que viviam nos campos e vigiavam seu rebanho à noite. O anjo do Senhor apareceu a eles e a glória do Senhor brilhou ao redor deles, e eles ficaram com muito medo. O anjo disse-lhes: “Não temais; pois eis que vos anuncio uma boa nova de grande alegria que será para todo o povo. Pois hoje na cidade de David nasceu para vós um Salvador que é o Messias e Senhor. E este será um sinal para você: você encontrará uma criança envolta em panos e deitada em uma manjedoura.” E de repente havia uma multidão do exército celestial com o anjo, louvando a Deus e dizendo: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados””. (Lc 2, 8-14).

 

Aqui estão algumas dicas para comemorar o dia de Natal e todo o tempo do Natal:

  • Na pressa de fazer os preparativos finais para o Natal, não se esqueça de se preparar bem para a missa no grande dia. Quer você vá à Santa Missa na véspera ou no dia de Natal, planeje passar algum tempo lendo e refletindo sobre as leituras da Missa de Natal.
  • Quando você comemorar em casa com a família e amigos, permaneça centrado em Cristo. Antes de abrir qualquer presente, coloque o Menino Jesus na manjedoura. Dê a cada pessoa a oportunidade de fazer uma oração ao Menino Jesus.
  • Lembre-se de que o Natal é uma época que se estende até o Batismo do Senhor. Portanto, continue a comemorar durante toda a temporada – talvez com festas e jantares especiais com a família e amigos. Faça o que fizer, torne-o um momento alegre e festivo para toda a temporada.

 

Para encerrar, gostaria de desejar a você e aos seus familiares um “Natal misericordioso”, repleto de alegria e maravilhas da época. E não se esqueça de agradecer a Deus Pai – sempre – pelo maior presente de todos: enviar Jesus, Misericórdia Encarnada, para nos salvar dos nossos pecados.

 

 

David Came é editor executivo da revista Marian Helper /
Editora Apostolado da Divina Misericórdia, EUA.