O envelhecimento e suas possibilidades

 15 de junho: Dia Mundial de Conscientização da
Violência contra a Pessoa Idosa

O ser humano passa por um contínuo processo de desenvolvimento que o leva necessariamente à velhice e à morte. Dessa forma compreendemos o envelhecimento como um processo biológico, logo, natural e universal. Porém, este se diferencia dos outros seres em vários aspectos, destacando-se o fato do homem ser uma criatura produto e produtora de sociedade, e que tem a consciência de seu processo de envelhecimento e de sua própria morte.

Nas últimas décadas se tem registrado um crescimento mundial nos índices de envelhecimento demográfico, em consequência da redução das taxas de natalidade e do aumento na expectativa de vida.

O Brasil iniciou o século XXI com uma população idosa crescendo duas vezes mais do que a sua população total e, segundo as estimativas para os próximos 20 anos, quase 13% da população brasileira será constituída por idosos (IBGE, 2001). De acordo com as projeções da Organização Mundial da Saúde, no ano 2025 o Brasil será o sexto país com o maior número de pessoas com 60 anos ou mais.

 

Saúde pública

Relacionado ao aumento da população idosa, também existe o crescimento da violência contra o idoso. Tal fato constantemente tem sido motivo de discussões, tonando-se um problema de saúde pública aqui no Brasil.

A população idosa faz parte de um grupo social com grande risco à violência, em decorrência da diminuição de algumas funções, como memória e capacidade física e aumento da dependência de filhos e amigos, nisso, abre-se espaço para que estes possam realizar abusos relacionados à pessoa idosa.

Quanto a estes abusos, eles são divididos em 5 formas de violências que são:

  • violência física: tapas, socos, chutes e empurrões;
  • violência psicológica: humilhação, insultos, perseguição e ameaças;
  • violência sexual: qualquer ato sexual sem consentimento;
  • violência patrimonial: exploração do dinheiro e bens da pessoa idosa para ganho pessoal;
  • violência moral: calunias; difamações e injuria.

Dentre esses 5 tipos de violência, foi contabilizado em 2017 pelo Ministério da Saúde o número de 33 mil denúncias de agressões contra a pessoa idosa.

Entretanto, apesar do número de denúncias formais impressionar, sabe-se que esse não expressa a totalidade do que realmente ocorre, já que muitos casos não são denunciados pela lealdade que o idoso criou frente ao cuidador, ou até mesmo por falta de conhecimento, já que a ideia de Violência Psicológica, Moral e Patrimonial, ainda estão em desenvolvimento em nossa cultura.

 

Como envelhecer com qualidade de vida?

Atualmente uma série de estudos tem apontado que o caminho para um envelhecimento saudável está no idoso conseguir enxergar o envelhecimento não apenas como um processo de perdas, mas também de ganhos, ou seja: conseguir observar a importância de tudo o que já foi conquistado e as potencialidades que ainda tem a desenvolver.

Para que o indivíduo consiga enxergar de tal forma o envelhecimento, é necessária uma conscientização social mais profunda sobre os idosos, visto que o meio social tem grande impacto na criação de uma mentalidade negativa frente ao envelhecimento.

Uma das formas de instigar o diálogo sobre esse tema é o aprofundamento de programas que gerem interações entre idosos e jovens. Tais encontros geralmente acabam por proporcionar a troca de conhecimentos entre gerações, além de se tornar em um espaço de conversação sobre os pré-conceitos negativos criados entre ambos, sendo que tais confrontações acabam ocorrendo geralmente de forma natural, sem embates, a partir da convivência em um ambiente que se torna propício o olhar empático.

Também se faz interessante propor às igrejas a formação da Pastoral da Pessoa Idosa, que tem como missão a promoção e valorização da Pessoa Idosa. Esse movimento gera oportunidades para melhorar a qualidade de vida, através de um processo que integra a família à comunidade. Os idosos podem ser acompanhados em seu domicílio, recebendo o afeto e a ternura de Deus.

 

 

Referência:

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por amostra a domicilio PNAD, 2001. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2001/default.shtm.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Fundo de população da ONU alerta sobre violência contra os idosos no Brasil, 2018. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53390-fundo-de-populacao-da-onu-alerta-para-violencia-contra-idosos-no-brasil.

CNBB2. Pastoral da pessoa idosa. Disponível em: https://www.cnbbo2.org.br/pastorais/pastoral-da-pessoa-idosa/

 

Por Rafael Luiz Batista – Psicólogo Clínico – Santuário da Divina Misericórdia