Próxima Beata brasileira ‘Menina Benigna’ tem romaria on-line para recordar 79 anos de martírio

Fotos: Diocese de Crato

 

O martírio da próxima Beata brasileira, a jovem Benigna Cardoso, de Santana do Cariri, no Ceará, foi recordado no último sábado (24). Pela primeira vez, neste ano, a romaria para reavivar a fé e a piedade dos fiéis foi realizada no formato on-line e celebrada sob o tema: “a caminho da beatificação, testemunhando a fé de Benigna, fortaleçamos a Igreja doméstica”.

A cerimônia de beatificação, prevista para acontecer neste período, foi suspensa devido à pandemia, e deve ser remarcada para 2021.

A 17ª Romaria de Benigna Cardoso, em Santana do Cariri, foi concluída no último sábado (24) com uma missa solene na Paróquia de Senhora Sant’Ana, com público restrito no local e também em modalidade on-line, para recordar o martírio da jovem, ocorrido há 79 anos. A decisão levou em conta a atual situação da pandemia em que vive o Estado do Ceará e, particularmente, a região do Cariri.

Para reavivar a fé e a piedade dos fiéis, toda a programação, de 15 a 24 de outubro, foi adaptada à Internet  com celebrações eucarísticas e visita do quadro com a imagem da jovem, que também percorreu as ruas do centro da cidade e do Bairro Inhumas, local onde ela foi martirizada.

A beatificação da Menina Benigna

A cerimônia de beatificação, prevista para acontecer neste período na Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha, em Crato, no Ceará, foi suspensa. Devido à pandemia, o rito foi adiado para 2021, ainda sem data marcada, conforme informou recentemente em mensagem de vídeo o Bispo de Crato, Dom Gilberto Pastana: “vamos rezar, pedir a Deus que a gente vença essa pandemia, que se encontre logo uma vacina e, depois disso, sem dúvida, vamos remarcar essa data. Tão logo se marque, estaremos comunicando a todo o povo de Deus”.

 

A história da próxima  Beata brasileira

A Serva de Deus será a primeira Beata nascida no Ceará a receber esse ato, que é um passo para o caminho da canonização. O testemunho de santidade da Menina Benigna começou logo após o martírio, há mais de 70 anos. “Ela morreu por uma causa, ela deu a vida por uma causa, explicitamente comprovada. Ela preferiu morrer para não pecar, por isso ela é a ‘heroína da castidade’. Ela é um exemplo de virtude cristã para todos aqueles que querem ser discípulos do Senhor”, comentou Dom Gilberto.

 

 

Colaboração: Diocese de Crato
Fonte: Vatican News