Testemunho – Curado na alma e no corpo

Banner Curado na alma e no corpo

No dia 2 de agosto de 1990, na cidade italiana de Tren­to, no Santuário de Jesus Misericordioso ocorreu um celebre milagre. Ugo Festa, de 39 anos, so­fria com esclerose múltipla, epilepsia, falta de memória e deficiência visu­al (7,5 de dioptria causada por uma lesão no nervo visual). Há sete anos se movimentava com a ajuda de uma cadeira de rodas. Ao longo de sua vida, intima­mente Ugo nutria uma profunda mágoa de sua mãe e não conseguia perdoá-la por tê-lo abandonado ainda bebê. Sentia essa dor pro­funda durante toda a vida e muitas vezes xingava, blasfemava.

Ugo Festa - Primeiro encontro de Ugo Festa com o Papa João Paulo II
Primeiro encontro de Ugo Festa com o Papa João Paulo II

Embora já tivesse construído sua própria fa­mília, pois é casado e tem dois filhos, jamais o abandonou o desejo de encontrar sua mãe. Com esse estado de espírito, sentindo a injustiça de que fora ví­tima e uma certa incapacidade de perdoar, seguindo o conselho de um conhecido, Ugo viajou para a cidade de Lourdes na França. Após o banho na água que brota da gruta de Nossa Senho­ra, como se fosse suavemente tocado por uma mão, o doente sentiu que interiormente havia se tornado um outro homem: perdoou sua mãe, deixou de blasfemar e de xingar, e fez o propósito de oferecer os seus sofrimentos a Deus. Cinco anos após essa cura inte­rior, Ugo viajou para Roma. Sobre as graças que alcançou de Jesus Miseri­cordioso, ele testemunhou:

“Fui à Basílica de São Pedro levando comigo cinco santinhos de Jesus Misericordioso e uma medalha. Pedi ao Santo Padre, Papa João Paulo II, que abençoasse os santinhos e principalmente que desse a sua bênção para mim, visto que eu estava passando então por uma profunda crise espiritual e moral. O Santo Padre o Papa me disse: ‘Como é possível que você esteja em crise trazendo consigo Jesus Misericordioso? Confie no Coração de Jesus e na intercessão da minha estimada Irmã Faustina’. Voltando para Vicenza, viajei para a Villa Santíssima, em Trento, para a casa diocesana, para o santuário de Jesus Misericordioso. Fui participar desse dia de recolhimento antes por razões de obediência, sem esperar nada especial. No entanto, durante o momento de oração de cura, dirigida pelo Pe. Renato Tissot, Jesus me curou. A cura aconteceu por eu ter perdoado minha mãe e por ter agradecido a Deus pelo dom da vida. Durante a oração na igreja eu vi Jesus Misericordioso, que estendeu as mãos para mim e veio em minha direção.

Ugo Festa - Vinte e sete dias depois, curado, Ugo Festa retorna ao Papa para testemunhar a graça alcançada
Vinte e sete dias depois, curado, Ugo Festa retorna ao Papa para testemunhar a graça alcançada

Não queria acreditar nisso e procurava olhar para outro lado. Mas Ele estava lá e convidava-me com seus braços estendidos. Quando olhei para Ele pela quinta vez, pedi que me permitisse ficar em pé. Atendendo ao meu pedido, Ele me convidou a sair da cadeira de rodas. Atendendo a esse apelo, levantei-me e encaminhei-me para a adoração na capelinha que ficava no centro da casa.

Então caí numa espécie de sono, durante o qual vi Irmã Faustina sorrindo para mim. Feitos todos os exames, verificou-se que a minha cura era total. (…) Sinto a necessidade de ser missionário de Jesus Misericordioso. A todas as pessoas que Jesus permite que eu encontre faço o convite para conhecerem a Santa Faustina e a Misericórdia Divina”.

No dia 29 de agosto de 1990, Ugo mais uma vez foi en­contrar-se com o Santo Padre, mas desta vez foi caminhando com suas próprias pernas, sem a ajuda da ca­deira de rodas, para relatar a João Paulo II a forma milagrosa como havia sido curado. Para o mundo, Ugo Festa tor­nou-se uma testemunha viva da atuação de Jesus misericordioso e da intercessão poderosa de Santa Faus­tina, bem como um devoto da Mise­ricórdia Divina que anuncia a neces­sidade e a eficácia dessa devoção.

Fonte: Revista Divina Misericórdia Abril/Maio de 2015 – Edição 32 – Pág. 12 e 13

Banner-Envie-seu-testemunho