O Diário de Santa Faustina

Diário escrito por Santa Faustina

A Misericórdia Divina na minha alma

Diário escrito por Santa Faustina
Diário escrito por Santa Faustina

 

O Diário de Santa Faustina Kowalska, publicado no Brasil com exclusividade pela Editora Apostolado da Divina Misericórdia, é uma das obras mais conhecidas pelos católicos em todo o mundo. A jornalista e historiadora Ewa Czaczkowska que escreveu a mais completa biografia sobre a vida de Santa Faustina aponta que nem mesmo as Irmãs de Nossa Senhora Mãe de Misericórdia, congregação a que pertenceu Irmã Faustina, sabem dizer para quantos idiomas o Diário foi traduzido. “Mas, uma coisa é certa: trata-se do livro mais frequentemente traduzido da língua polonesa”, ressalta.

O Diário de Santa Faustina, escrito por uma humilde religiosa polonesa, evidencia a profundidade da sua espiritualidade, revela o alto grau de sua união com Deus.  Ela começou a escrevê-lo a pedido do seu confessor e diretor espiritual: “Devo anotar os encontros de minha alma Convosco, ó Deus, nos momentos de Vossas especiais visitas. Devo escrever sobre Vós, ó inconcebível em misericórdia para com a minha pobre alma. A Vossa santa vontade é a vida da minha alma. Recebi essa ordem de quem Vos representa aqui na terra, ó Deus, e ele me esclarece sobre a Vossa santa vontade” (Diário, 6). Também o próprio Jesus salientou para ela: “A tua tarefa é escrever o que te dou a conhecer sobre a Minha misericórdia para o proveito das almas que lendo esses escritos, experimentarão consolo na alma e terão coragem de se aproximar de mim” (Diário, 1693).

Tarefa cumprida

 Santa Faustina Kowalska
Santa Faustina Kowalska

Obediente, Irmã Faustina anotou em cadernos tudo o que acontecia em sua alma, suas orações, seus diálogos com Jesus e os pedidos que Ele lhe fez sobre a devoção à Divina Misericórdia. Depois do seu falecimento (1938) esses cadernos foram reunidos sob o título que a própria Santa deu a eles: A Misericórdia Divina na minha alma.  Em 1981 foi publicada a primeira edição dessa obra conhecida hoje em todo o mundo como “O Diário de Santa Faustina”, contendo os seus seis cadernos manuscritos e outro que ela nomeou “A Minha preparação para a santa Comunhão”.

Em 1982 essa obra foi publicada pela primeira vez no Brasil, graças aos esforços dos Padres Marianos da Imaculada Conceição que, tendo o conhecimento do Diário e a compreensão da importância do seu conteúdo, decidiram traduzir o Diário de Santa Faustina para a língua portuguesa e desde então fazem dele um instrumento imprescindível para a divulgação da Devoção a Divina Misericórdia em todo o país.

Loja SantuárioEm súmula a missão que Jesus exigiu de Santa Faustina consiste em recordar uma verdade de fé que a humanidade parece ter esquecido: o amor misericordioso de Deus para com o homem. 

Sobre Santa Faustina Kowalska

Santa Faustina nasceu no povoado de Glogowiec, na Polônia, no dia 25 de agosto de 1905.
Foi acolhida no dia 01 de agosto de 1925 na clausura do convento da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia, em Varsóvia.
Dentro da Congregação, Helena recebeu o nome de Irmã Maria Faustina, em 1926.
O Senhor a escolheu para uma missão especial. Depois de atravessar pela “noite escura” das provações físicas, morais e espirituais, a partir de 22 de fevereiro de 1931, na cidade de Łódz, o próprio Senhor Jesus Cristo se manifestou à Irmã Faustina de um modo particular. Ela descreveu esta visão:

Imagem de Jesus Misericordioso
Imagem de Jesus Misericordioso

“Da túnica entreaberta sobre o peito saíam dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. (…) Logo depois, Jesus me disse: Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (D. 47).

Segundo um dos mais famosos estudiosos da devoção à Misericórdia Divina, Pe. Ignacy Rózycki, no Diário – e numa das Cartas de Santa Faustina – encontramos, dentre outros, 83 revelações particulares especiais sobre o mistério e o culto da Divina Misericórdia. Ao longo do Diário que Santa Faustina escreveu, descobrimos que Jesus a escolheu como secretária, apóstola, testemunha e dispensadora da divina misericórdia (cf. Diário 965; 1142; 400; 570).

Breve vida

Nos últimos anos de sua breve vida aumentaram os seus tormentos interiores e os padecimentos do organismo. Desenvolveu-se uma tuberculose que lhe atacou os pulmões e os intestinos.
Plenamente unida a Deus, erguendo os olhos para o céu, Irmã Faustina faleceu com fama de santidade às 22h45min do dia 5 de outubro de 1938, com apenas 33 anos de vida.

Em 1965, devido à sua vivência heroica das virtudes no cumprimento da vontade de Deus, iniciou-se o Processo informativo da causa da beatificação da Serva de Deus Irmã Faustina Kowalska.
O então Cardeal Karol Wojtyla o encerra com uma sessão solene no dia 20 de setembro de 1967. Anos depois (1978) Karol Wojtyla se tornaria o Papa João Paulo II, e por suas mãos Irmã Faustina seria beatificada (1993).

Em 30 de abril de 2000, em Roma, no segundo domingo da Páscoa, o Papa João Paulo II elevou aos altares a bem-aventurada Irmã Faustina Kowalska e instituiu a Festa da Divina Misericórdia para toda a Igreja. Na celebração de canonização da nova santa, ele afirmou que “A luz da misericórdia divina, que o Senhor quis como que entregar de novo ao mundo através do carisma da Irmã Faustina, iluminará o caminho dos homens do terceiro milênio”. Na ocasião o Papa confessou sua grande alegria ao propor para a Igreja inteira, “como dom de Deus para o nosso tempo, a vida e o testemunho da Santa Faustina Kowalska”.

Santa Faustina Kowalska: rogai por nós!

Biografia de uma Santa

1 Trackback / Pingback

  1. Autores - Editora Apostolado da Divina Misericórdia

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*