Fátima: Os pais da criança miraculada relatam a “imensa alegria” por ser este o milagre da canonização

Na tarde de ontem, quinta-feira, em Fátima, os brasileiros João Batista e Lucila Yurie, os pais de Lucas, a criança cuja cura foi atribuída à intercessão dos Beatos Francisco e Jacinta, encontram-se com a imprensa para dirigir algumas palavras sobre a “imensa alegria por ser esse o milagre que os leva à canonização”.

“Damos graças a Deus pela cura do Lucas e sabemos com toda a fé do nosso coração, que foi obtido este milagre pelos Pastorinhos Francisco e Jacinta”, salientou João Batista, o pai do jovem Lucas, falando em seu nome e da sua mulher, Lucila Yurie.

O caso ocorreu a 3 de março de 2013, pelas 20.00 horas, quando Lucas, na altura com 5 anos, caiu de uma janela, de uma altura de 6.50 metros.

“Bateu com a cabeça no chão – disse o Pai – e teve um traumatismo craniano grave, com perda de tecido cerebral no lóbulo frontal esquerdo”, relatou, referindo que a criança foi internada em coma muito grave, sofrendo duas paradas cardíacas. Os médicos deram-lhes poucas esperanças de sobrevivência.

“Começamos a rezar a Jesus e a Nossa Senhora de Fátima, a quem temos muita devoção. No dia seguinte ligamos para o Carmelo de Campo Mourão, pedindo que as irmãs que rezassem pelo Lucas. A irmã que recebeu o telefonema não passou o recado” pensando que a criança não iria sobreviver, contou, indicando que a mensagem só foi passada à comunidade no dia seguinte.

“Uma irmã correu para as relíquias dos Beatos Francisco e Jacinta, que estavam junto do Sacrário e sentiu esse impulso de oração: “Pastorinhos, salvem esse menino, que é uma criança como vocês”.

Conseguiu convencer toda a comunidade do Carmelo a rezar apenas com a intercessão dos Pastorinhos”, relatou.

“Assim fizeram. Da mesma forma como todos nós, na família, começamos a rezar aos Pastorinhos e, dois dias depois, no dia 9 de março o Lucas foi desentubado e acordou bem, lúcido, e começou a falar, perguntado pela sua irmãzinha. No dia 11 de março saiu da UTI e dia 15 ele teve alta”, disse João Batista.

Uma cura, referiu, para a qual os médicos, mesmo os não-crentes, não conseguem encontrar explicação.

A criança está completamente bem, “sem nenhum sintoma ou sequela”: “O que o Lucas era antes do acidente ele o é agora: sua inteligência, seu caráter, é tudo igual”.

 

Texto completo do testemunho dos pais de Lucas:

Boa tarde a todos

Meu nome é João Batista. Esta é a minha esposa, Lucila Yurie. Estamos aqui para dividir asinformações sobre o caso do Lucas.

No dia 3 de março de 2013, por volta das 20.00 horas, o nosso filho Lucas, que estava brincando com a sua irmãzinha Eduarda, caiu de uma janela, de uma altura de aproximadamente 6.50 metros. Na época, ele tinha 5 anos.

Bateu com a cabeça no chão e fez um traumatismo craniano grave, com perda de tecido cerebral no lóbulo frontal esquerdo.

Foi assistido na nossa cidade, em Juranda, e dada a gravidade do seu quadro clínico, ele foi transferido para o hospital de Campo Mourão, no Paraná.

O percurso demorou por volta de uma hora.

Chegou em coma muito grave. Teve duas paragens cardíacas enquanto era anestesiado para a cirurgia e foi operado de urgência. Os médicos diziam que ele tinha poucas probabilidades de sobreviver.

Começamos a rezar a Jesus e a Nossa Senhora de Fátima, a quem temos muita devoção. No dia seguinte ligamos para o Carmelo de Campo Mourão, pedindo que as irmãs rezassem pelo Lucas. A irmã que recebeu o telefonema, ela não passou o recado porque ela sentiu que o Lucas não ia aguentar. Então ela fez apenas uma oração para confortar a gente.

Os dias passavam e o Lucas estava piorando. O quadro dele não evoluía. No dia 6 de março os médicos pensaram na transferência para um hospital maior, uma vez que nem havia os cuidados necessários para a sua idade. Disseram-nos que as possibilidades de o menino sobreviver eram baixas e que se sobrevivesse teria uma recuperação muito demorada, ficando certamente com graves deficiências cognitivas ou mesmo em estado vegetativo.

No dia 7 voltamos a ligar para o Carmelo. Nesse dia, a irmã transmitiu o recado à comunidade. Uma irmã correu para as relíquias dos Beatos Francisco e Jacinta, que estavam junto do Sacrário, e sentiu esse impulso no coração. E disse: “Pastorinhos, salvem esse menino, que é uma criança como vocês”. Conseguiu convencer toda a comunidade do Carmelo a rezar com ela apenas a intercessão dos Pastorinhos.

Assim fizeram. Da mesma forma como todos nós, na família, começamos a rezar aos Pastorinhos e, dois dias depois, no dia 9 de março o Lucas foi desentubado e acordou bem, lúcido, e começou a falar, perguntado pela sua irmãzinha. No dia 11 de março saiu da UTI e dia 15 ele teve alta.

Está completamente bem, sem nenhum sintoma ou sequela. O que o Lucas era antes do acidente ele o é agora: sua inteligência, seu caráter, é tudo igual.

Os médicos, incluindo alguns não crentes, disseram não ter explicação para essa recuperação.

Eu queria aqui agradecer aos profissionais de saúde que acompanharam o caso do Lucas, bem como à Postulação de Francisco e Jacinta Marto, na pessoa da Irmã Ângela, por todo o cuidado que prestaram durante todo esse processo até à canonização.

Agradecemos também ao Santuário de Fátima, na pessoa do padre Carlos Cabecinhas. No entanto, não podemos deixar de agradecer a todos aqueles que rezaram pelo Lucas.

Damos graças a Deus pela cura do Lucas e sabemos com toda a fé do nosso coração, que foi obtido este milagre pelos Pastorinhos Francisco e Jacinta.

Sentimos uma imensa alegria por ser este o milagre que os levou à canonização, mas sobretudo sentimos a bênção da amizade dessas duas crianças, que ajudaram o nosso menino e agora ajudam a nossa família.

Fontes: Rádio Vaticano e Santuário de Fátima