Memória Litúrgica de Nossa Senhora de Czestochowa

Se Czestochowa está no coração da Polônia,
significa que a Polônia tem um coração materno (Papa Francisco)



Neste sábado, 26 de agosto, celebramos a memória litúrgica de Nossa Senhora de Czestochowa. Por esta ocasião, e também pelos 300 anos da coroação da imagem milagrosa de Jasna Gora, ocorrida em 8 de setembro de 1717, o Papa Francisco enviou uma vídeo-mensagem, neste sábado, onde saúda com grande afeto a todos os peregrinos, especialmente (diz Francisco) os que fizeram um longo caminho para alcançar hoje, juntamente com os queridos irmãos Bispos e os sacerdotes, a capital espiritual do País.

Fiéis diante do ícone de Nossa Senhora de Czestocowa – RV

“Se Czestochowa está no coração da Polônia, significa que a Polônia tem um coração materno; significa que cada palpite de vida acontece juntamente com a Mãe de Deus. A Ela vós tendes o hábito de confiar-lhe tudo: o passado, o presente, o futuro, as alegrias e as angústias da vossa vida pessoal e a do vosso amado País. Isso é muito bonito”.

E é muito bonito para mim – diz ainda Francisco na mensagem – recordar que o fiz convosco no ano passado, quando me coloquei sob o olhar da Mãe, quando pus os meus olhos nos olhos de Nossa Senhora, confiando ao seu coração o que estava no meu e no vosso coração. Francisco sublinha que mantem viva e grata a memória daqueles momentos, a alegria de ter ido como peregrino para celebrar, sob o olhar da Mãe, os 1.050 anos do batismo da Polônia, e recorda “outra ocasião de graça a celebrar na peregrinação” quando, há 300 anos, o Papa concedeu de colocar as coroas papais sobre a imagem da Senhora de Jasna Gora, Rainha da Polônia:

“É uma grande honra ter por mãe uma Rainha, a mesma Rainha dos Anjos e dos Santos, que reina gloriosa no céu. Mas dá ainda mais alegria saber que tendes como Rainha uma Mãe, amar como Mãe Aquela que chamais Senhora. A sagrada imagem mostra, de facto, que Maria não é uma Rainha distante sentada no trono, mas a Mãe que abraça o Filho e, com Ele, todos nós, seus filhos. É uma Mãe verdadeira, com o rosto marcado, uma Mãe que sofre porque tem realmente a peito os problemas da nossa vida. É uma Mãe próxima, que nunca se afasta de nós; uma Mãe carinhosa, que nos segura pela mão no caminho de cada dia”.

E o desejo do Papa neste solene jubileu que estão a celebrar é que ele seja momento favorável para sentir que nenhum de nós é órfão:
“Neste mundo de orfandade nenhum de nós é órfão, porque cada um tem perto de si uma Mãe, Rainha insuperável na ternura. Ela nos conhece e nos acompanha com o seu estilo tipicamente materno: manso e corajoso ao mesmo tempo; nunca invasora e sempre perseverante no bem; paciente perante o mal e ativo na promoção da concórdia”.

A Virgem Maria vos dê a graça de vos alegrardes juntos, como família reunida em torno da Mãe – conclui Francisco, dando a todos a sua bênção:
“Neste espírito de comunhão eclesial, tornado ainda mais forte pelo vínculo único que une a Polônia com o sucessor de Pedro, dou-vos a minha Bênção Apostólica. E peço a todos vós, por favor, que rezeis por mim. Obrigado”.

Fonte: Rádio Vaticano