1ª palestra do 19º Congresso da Divina Misericórdia

O primeiro dia do 19º Congresso da Divina Misericórdia, que teve início ontem dia 08 de novembro, trouxe muita formação e espiritualidade aos devotos.

Acompanhe a seguir os destaques desse primeiro dia.

O Provincial dos Padres Marianos da Imaculada Conceição, Padre Jair Batista, MIC, abriu o evento on-line convidando os espectadores a deixarem-se enriquecer pelas reflexões a respeito da Divina Misericórdia que acontecerão ao longo da semana, até 15 de novembro, pelas redes sociais do Santuário da Divina Misericórdia.

A primeira palestra do Congresso foi realizada pela Irmã Glória Obzut, da Congregação Irmãs de Jesus Misericordioso. O tema desenvolvido pela Irmã foi “O lugar da Misericórdia Divina entre as perfeições de Deus” – primeiro capítulo do livro do Padre Miguel Sopoćko: A Misericórdia de Deus em Suas obras.

A Irmã Glória inicia a sua apresentação explicando a diferença entre a perfeição de Deus absoluta – quando é a Sua natureza; e a perfeição referencial – quando Deus age concretamente em nós.

Com um trecho do livro do Padre Sopoćko, a Irmã aborda sobre a perfeição de Deus.

“Visto que a razão humana não é capaz de num único conceito traduzir toda a perfeição de Deus, ao perceber as suas manifestações nas criaturas, eleva-as ao grau supremo e as atribui ao Criador, no qual na realidade tudo constitui a mais perfeita unidade” (página 19 – 1ª edição / página 20 – 2ª edição).

A partir deste trecho a palestrante explica a primeira compreensão que Padre Sopoćko faz sobre Deus. Não podemos defini-Lo, pois Deu é um mistério, a perfeição de Deus é um mistério. “Quando definimos Deus, limitamos a Sua ação a partir daquilo que compreendemos, pela nossa razão. Não cabe a nós dizer o que é ou quem é Deus”.

 

Manifestação de Deus nas criaturas

O reflexo de Deus está nas criaturas, nós O percebemos em toda a Sua criação. Aí se esconde Deus e a Sua perfeição. “Todas as coisas criadas trazem a marca do Seu criador. E a nossa primeira tarefa é reconhecer Deus na criação. Hoje o homem quer eliminar Deus da criação, é como se a criatura eliminasse o criador. Então, o Padre Miguel nos diz que somos reflexo e obra da criação de Deus. Por isso, o livro traz esse título, o Padre Miguel vai nos explicar como a Misericórdia se reflete nas obras, naquilo que Deus criou”.

Dando continuidade em sua abordagem sobre a criação do Senhor a irmã gerou um questionamento e pediu que os congressistas refletissem em seu coração:

“Será que eu ou você conseguimos reconhecer o reflexo de Deus nas criaturas? Será que conseguimos reconhecer Deus?”.

 

As perfeições de Deus em relação a nós

Os teólogos distinguem cinco principais perfeições referenciais de Deus em relação a nós, que são: a bondade; a sabedoria; a providência; a justiça e a misericórdia.

A paciência; a benevolência e o amor fazem parte da misericórdia; e em toda obra divina a misericórdia é o principal motivo da ação externa de Deus.

“Toda a obra de Deus tem a fonte na Sua misericórdia, ou seja, Deus olha pra a miséria do nosso coração. Deus se move ao nosso encontro, essa é a Sua misericórdia. A miséria do nosso coração toca tão profundamente a Deus que Ele precisa agir. Deus se compadece e comove-se, Ele não apenas vê, Ele sente e move-se ao nosso encontro”.

Com outro fragmento do livro do Padre Miguel, a Irmã explica sobre o agir misericordioso de Deus.

“A misericórdia divina não é a virtude humana da misericórdia, que decorre do amor e cresce ou desaparece como dele dependente; não é a disposição, dependente das condições e das circunstâncias; não é a comoção sensitiva, que se manifesta no sofrimento instintivo juntamente com a desgraça alheia (…) mas é uma infinita e imutável perfeição de Deus, ou seja, é o próprio Deus que se compadece da nossa miséria e que completa as nossas numerosas falhas.” (página 21, 22 – 1ª edição / página 22, 23 – 2ª edição).

Irmã Glória reforça que a Misericórdia de Deus não é como a nossa misericórdia. Pois o ser humano age com misericórdia e é bondoso conforme os próprios critérios e condições. Deus não coloca condições. Deus nos ama incondicionalmente e olha para nós com Misericórdia todo o tempo. Por isso, a Misericórdia é a fonte de todas as perfeições de Deus.

Nesse sentido, a palestrante explica que compaixão e sentimento e a Misericórdia é a ação concreta do coração de Deus ao nosso encontro.

Concluindo a sua palestra, a Irmã Glória citou o Diário de Santa Faustina, em que Jesus fala:
“A humanidade não encontrará paz enquanto não se voltar com confiança para a Minha misericórdia” (Diário, 300).

Esta é a grande mensagem de misericórdia. A misericórdia é a fonte de todas as ações de Deus. Finalizando, a Irmã fez alguns questionamentos para refletirmos:

“Sobre as nossas ações, qual é a nossa fonte? Nós agimos a partir de quais critérios? Também quero deixar este outro questionamento: Como você percebe a ação da Misericórdia Divina e qual bem Deus quer tirar do mal que você experimenta hoje?”.

 


Você pode assistir a palestra na íntegra clicando abaixo.