20º Congresso: Primeira Palestra – Padre Jair Batista, MIC

 

20º Congresso Nacional da Divina Misericórdia

“A Misericórdia Divina no Mistério da Redenção”

 

O Padre Jair Batista, MIC, Provincial da Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição, conduziu a primeira palestra do 20º Congresso Nacional da Divina Misericórdia. O tema da sua palestra foi: “O misericordioso discurso de despedida de Jesus Cristo”.

O Provincial iniciou a sua formação fazendo uma explanação dos 40 anos da Editora Apostolado da Divina Misericórdia e sobre o livro A Misericórdia de Deus – vol. 02, do Padre Miguel Sopocko, que é a base do 20º Congresso.

A Misericórdia Divina no mistério da redenção

De acordo com o ensinamento do Padre Jair, redenção é pagamento, é quando alguém paga o preço do nosso resgate. “Éramos escravos do pecado e Jesus Cristo especialmente em sua Paixão, Morte e Ressureição, pagou o preço do nosso resgate.”

“O pecado dos nossos primeiro pais não nos permitia estar em Deus. Mas, como humanidade, não teríamos como pagar o preço do nosso resgate. Por isso, Deus decidiu que Ele iria pagar a Si mesmo o preço”, continuou o padre.

Em cada passo da sua Paixão, Morte e Ressureição, Jesus foi realizando a obra de nos tirar da culpa e nos tornar filhos de Deus. São esses passos que serão meditados durante os três dias de formação.

 

O misericordioso discurso de despedida de Jesus Cristo

Após explicar sobre o tema central do Congresso, o Provincial trouxe as chaves da sua palestra, retiradas do livro do Padre Miguel.

“Despois da Santa Ceia, especialmente descrito no Evangelho de São João, Jesus pronuncia um longo discurso, que compreende a despedida dos discípulos, a dispersão dos discípulos, e, mesmo em sofrimento, Jesus quer dar um consolo aos seus discípulos, dar uma palavra de ânimo. E nesse discurso, Jesus recomenda o mandamento: Amai-vos uns aos outros. Pois, é neste mandamento que se encontra a força para enfrentar os inimigos da Igreja”.

Citando o autor Miguel Sopocko, o Padre Jair aconselha que “se formos capazes de amar como Jesus nos ensinou, vamos encontrar forças entre nós. É neste amor mútuo que vocês vão encontrar forças para superar as perseguições do mundo e a capacidade de superar as próprias fragilidades, pois, na força do Senhor eu sou capaz!”.

O Padre também destaca que é nesse amor que os outros vão nos reconhecer como discípulos de Jesus. E por esse testemunho de fé os cristãos eram respeitados.

 

A Oração Sacerdotal

Para encerrar, o Provincial dos Padres Marianos ressaltou o ponto supremo do encerramento do discurso de Jesus, que se dá na oração do Sumo Sacerdote.

O Senhor reza por Si mesmo, reza pelos Apóstolos e depois reza por nós, a Igreja.

Primeiro, Jesus pede ao Pai que o reintroduza na glória que tinha antes de se encarnar. Depois o Senhor suplica que os Apóstolos sejam preservados na unidade e santificados na verdade, para que sejam fortalecidos.

“A oração pelos Apóstolos nos dá um exemplo de como devemos rezar aos Apóstolos do tempo de hoje: o Santo Padre – Papa Francisco e os Bispos – continuadores da Igreja de Jesus Cristo”, ensina o Provincial.

E por fim, Jesus pede pela Igreja. O Salvador pede duas coisas: pela unidade, que seja como a unidade da Santíssima Trindade; e reza também para que alcancemos todos a glória celeste, vivendo com Ele na eternidade.