Quanto mais uma alma confia, mais ela receberá

A mensagem e a devoção da Divina Misericórdia confiada a Ir. Maria Faustina é um caminho sagrado e fascinante, e que continua ajudando a salvar inúmeras almas.

Vamos nos aprofundar na missão de Santa Faustina após sua morte e sobre como podemos ajudar a espalhar a mensagem e devoção da Divina Misericórdia.

Jesus compartilhou com Santa Faustina em várias ocasiões que a falta de confiança o dói profundamente. Por que um ato de confiança em Deus é tão significativo na vida espiritual?

Jesus disse a Santa Faustina: “As graças da Minha misericórdia colhem-se com um único vaso — que é a confiança. Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá.” (Diário, 1578).

Uma vez, quando Santa Faustina se sentia esmagada por provações e sofrimentos, ela fez um Ato de Confiança a Jesus. Com sinceridade, ela orou: “Fazei de mim, ó Jesus, o que quiserdes. Eu Vos adorarei em toda parte. E faça-se em mim toda a Vossa vontade, ó meu Senhor e meu Deus, que eu glorificarei a Vossa infinita misericórdia”.

Santa Faustina escreveu:

“Por este ato de submissão afastaram-se aqueles terríveis tormentos. Então, vi Jesus que me disse: Eu estou sempre no teu coração. Uma alegria inconcebível tomou conta da minha alma, [enchendo-a] de um grande amor a Deus, do qual se inflamou o meu pobre coração.” Ela explicou: “Reconheço que Deus nunca permitirá mais do que possamos suportar”. Ela percebeu: “se Ele envia à alma grandes tormentos, sustenta-a com uma graça ainda maior, mesmo que não a percebamos”. Ela escreveu: “Um só ato de confiança em momentos assim dá maior glória a Deus do que muitas horas de consolos passadas em oração. Vejo agora que, quando Deus quer manter a alma nas trevas, não há livro nem confessor algum que a consiga iluminar.” (Diário, 78).

Ela sabia que Deus estava no controle e que ela devia confiar Nele de todo o coração e alma. Ela fez isso desde o início. Imediatamente após Jesus aparecer para a jovem Helena no baile, perguntando quando ela o seguiria, ela fugiu para a Igreja e se prostrou no chão em oração. Ela se jogou nos braços de Jesus e confiou em seu Senhor e Salvador até o fim.

 

Sua missão após sua morte

Acredita-se que Irmã Faustina escreveu seu último registro no Diário em meados de junho de 1938. Esta jovem santa em formação havia lutado o bom combate! No entanto, ela não havia terminado. Há mais para a história.

A humilde mística deixou uma última anotação:

“Hoje a majestade de Deus me envolve. Não consigo, de maneira nenhuma, me preparar melhor. Estou inteiramente envolvida por Deus. A minha alma se inflama com Seu amor. Sei apenas que amo e sou amada, e isso me basta. Durante o dia procuro ser fiel ao Espírito Santo e satisfazer as Suas exigências. Procuro o silêncio interior para poder ouvir a Sua voz…” (Diário, 1828).

Foto: iStock

Não tenho dúvidas de que Santa Faustina trabalha arduamente do seu lugar no céu. Ela prometeu voltar à terra para encorajar as almas e estimulá-las a confiar na misericórdia de Deus” (cf. Diário, 1582).

Irmã Faustina foi beatificada em 18 de abril de 1993 pelo Santo Padre João Paulo II na Praça de São Pedro, em Roma. Em 30 de abril de 2000, festa da Divina Misericórdia, perante cerca de 250.000 peregrinos a Irmã Faustina foi canonizada “a grande apóstola da Divina Misericórdia” pelo Papa João Paulo II. Em sua homilia o pontífice também afirmou:

Ir. Faustina Kowalska escreveu em seu Diário:

“Sinto uma dor tremenda ao ver o sofrimento de meus vizinhos. Todos os sofrimentos de meus vizinhos reverberam em meu próprio coração; Eu carrego sua angústia em meu coração de tal forma que até mesmo fisicamente me destrói. Gostaria que todas as suas dores recaíssem sobre mim, para aliviar o meu próximo ”(Diário, 1039). Este é o grau de compaixão a que o amor conduz, quando tem como medida o amor de Deus!

É este amor que deve inspirar a humanidade hoje, se quiser enfrentar a crise do sentido da vida, os desafios das mais diversas necessidades e, sobretudo, o dever de defender a dignidade de cada pessoa humana. Assim, a mensagem da misericórdia divina também é implicitamente uma mensagem sobre o valor de cada ser humano. Cada pessoa é preciosa aos olhos de Deus; Cristo deu a vida por cada um; a todos o Pai dá o Seu Espírito e oferece intimidade.

Esta consoladora mensagem dirige-se sobretudo a quantos, afligidos por uma prova particularmente dura ou esmagados pelo peso dos pecados que cometeram, perderam toda a confiança na vida e são tentados a ceder ao desespero. A eles é oferecido o rosto gentil de Cristo; aqueles raios de seu coração os tocam e brilham sobre eles, aquecem-nos, mostram-lhes o caminho e os enchem de esperança. Quantas almas se consolaram com a oração “Jesus, eu confio em ti”, que a Providência sugeriu por meio de Ir. Faustina! Este simples ato de abandono a Jesus dissipa as nuvens mais densas e permite que um raio de luz penetre em cada vida.

Oremos por todas as graças de que precisamos para passar o fogo para iluminar nosso mundo obscurecido à misericórdia insondável de Deus! Lembre-se, podemos buscar a intercessão de Santa Faustina! Ela disse: “Pressinto bem que a minha missão não termina com a minha morte, mas começará com ela” (Diário, 281). Com a ajuda de Deus e a intercessão de Irmã Faustina, sejamos testemunhas incansáveis ​​da sua misericórdia!

Faça o seu melhor para ensinar aos outros sobre a Divina Misericórdia. Você pode ser uma parte importante para levar a Divina Misericórdia de Jesus para o mundo – uma pessoa de cada vez.

 

Fonte: Vatican News.


Conheça o Diário de Santa Faustina, livro exclusivo da Editora Apostolado da Divina Misericórdia

 

Clique aqui para adquirir o seu Diário na Loja Virtual

Disponível também pelo Televendas – Contato: (41) 3148-3200
Ou Loja física do Santuário – Contato: (41) 3149-7575  |  Whatsapp: (41) 99267-6434