Santa Faustina dirige-se pela primeira vez ao pintor Eugeniusz Kazimirowski

No dia 2 de janeiro de 1934, Santa Faustina dirigiu-se pela primeira vez ao pintor Eugeniusz Kazimirowski, a quem o Padre Miguel Sopoćko, confessor da Irmã, encarregou da tarefa de pintar a Imagem da Misericórdia Divina, segunda a descrição de Santa Faustina.Lembramos que a revelação sobre a imagem aconteceu no dia 22 de fevereiro de 1931, mas o quadro só ficou pronto em junho de 1934.

Diário, 863: Este dia é para mim especialmente grande; neste dia fui pela primeira vez tratar da pintura da Imagem. Nesse dia, a misericórdia divina recebeu, pela primeira vez, honras especiais exteriormente, embora seja conhecida há muito tempo, mas agora da forma como o Senhor o desejava. Esse dia do dulcíssimo Nome de Jesus lembra-me muitas graças especiais. (Santa Faustina).

Faustina ficou decepcionada com o resultado da imagem pintada e chorou dizendo que ninguém iria conseguir pintar Jesus com tanta beleza como ela o viu. É linda a confirmação de Jesus sobre o verdadeiro valor do quadro: Ele disse: “não está na beleza da tinta nem na habilidade do pintor, mas na Minha graça” (Diário, 313).

É importante ressaltar que a Imagem foi colocada para o culto público em Ostra Brama junto ao quadro de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia. Mais uma vez a Mãe nos apresentou o Seu Filho pedindo que seja feita a sua vontade.


A profundidade da imagem da Divina Misericórdia

A Imagem de Jesus Misericordioso representa dois acontecimentos evangélicos que mais plenamente falam sobre o amor de Deus para com o homem.

Representa Jesus Ressuscitado que traz aos homens a paz pela remissão dos pecados, pelo preço da Sua Paixão e morte na Cruz. E através dos raios do Sangue e da Água que brotam do Coração, transpassado por uma lança, e das cicatrizes das Chagas da crucifixão são relembrados os acontecimentos da Sexta-Feira Santa (Jo 19, 17-18; 33-37).

Na Imagem de Cristo são visíveis os dois raios. Irmã Faustina pergunta a Jesus sobre o significado desses raios, e Jesus lhe explica: “o raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas. (…) Feliz aquele que viver à sua sombra” (Diário, 299).

Jesus pediu à Santa Faustina:

Desejo que, no primeiro domingo depois da Páscoa, a Imagem seja exposta publicamente. Esse domingo é a Festa da Misericórdia. Pelo Verbo Encarnado dou a conhecer o abismo da Minha misericórdia. (Diário, 88).

Jesus fez grandes promessas para aquele que venera esta Imagem de Jesus Misericordioso: a salvação eterna, grandes progressos no caminho da perfeição cristã, a graça de uma morte feliz e ainda outras graças que os homens Lhe suplicarem com confiança. “Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas; que toda alma tenha, por isso, acesso a ela” (Diário, 570).

Minha oração: Jesus, através da imagem de Ti como a Divina Misericórdia, faz-me conhecer a infinita profundidade da Tua Misericórdia. Que esta imagem seja exibida em público no domingo da Divina Misericórdia em todas as igrejas do mundo.