Ensinamentos de Santa Faustina sobre a santidade

“A minha santidade e perfeição consiste em uma
estreita união da minha vontade com a vontade de Deus. Deus nunca força
a nossa livre vontade. De nós depende se queremos aceitar a graça de
Deus, ou não; se queremos colaborar com ela, ou desperdiçá-la.”
(Diário, 1107).

 

Santa Faustina relata em seu Diário muitas meditações que teve sobre os sacrifícios e a graça de Deus. Neste trecho abaixo, há a sua visão sobre duas maneiras de se viver. Hás as pessoas que andam pelo mundo percorrendo seus caminhos no amor de Cristo, mesmo diante das dificuldades e das dores, e há as pessoas que seguem outros caminhos que levam às coisas provisórias e passageiras, e que nada deixam.


“Um dia, vi duas estradas: uma larga, atapetada de areia e flores, cheia de alegria e de música e de vários prazeres. As pessoas caminhavam por essa estrada dançando e se divertindo — chegavam ao fim, sem se aperceberem disso. E, no final dessa estrada, havia um enorme precipício, ou seja, o abismo do inferno. Essas almas caíam às cegas na voragem desse abismo; à medida que iam chegando, assim tombavam. E seu número era tão grande que não era possível contá-las. E avistei uma outra estrada, ou antes, uma vereda, porque era estreita e cheia de espinhos e de pedras, por onde as pessoas seguiam com lágrimas nos olhos e sofrendo dores diversas. Uns tropeçavam e caíam por cima dessas pedras, mas logo se levantavam e iam adiante. E no final da estrada havia um magnífico jardim, repleto de todos os tipos de felicidade e aí entravam todas essas almas. Já no primeiro momento, esqueciam-se de seus  sofrimentos.” (Diário, 153).

Santa Faustina demonstra com a sua vida que se outras coisas ocupam em nós o lugar de Deus, Ele não pode entrar em nossa história. E só em Jesus Cristo é possível encontrar a misericórdia que te faz viver e segui-Lo fielmente.

“se a alma ama sinceramente a Deus e está unida com Ele interiormente, ainda que exteriormente se encontre em condições difíceis, nada consegue perturbar o seu interior e, mesmo no meio da perversão, pode permanecer pura e íntegra, porque o grande amor a Deus lhe dá força para a luta, e também Deus a defende de maneira especial, até milagrosamente, se O ama sinceramente.(Diário, 1094).

 

O Senhor nos busca continuamente em sua misericórdia. É o Seu amor que nos devolve a vida e nos conduz à santidade. Deixe-se encontrar!

 


Fonte: Diário – A Misericórdia Divina na minha alma. Editora Apostolado da Divina Misericórdia | Curitiba-PR