No dia 31 de maio a Igreja celebra a Visitação de Maira à sua prima Isabel.

Por isso, pegamos uma das homilias do Papa Francisco, da Missa rezada na Casa Santa Marta (em 31 de maio de 2016), para extraímos algumas lições da Visitação de Maria.

Ele afirmou, recordando o gesto de Maria indo de encontro a sua prima para servi-la, que o “Serviço e encontro fazem sentir uma alegria que preenche nossas vidas”. Para o Papa Francisco, se aprendêssemos a servir e fôssemos ao encontro dos outros, mudaríamos o mundo.

O Papa falou da coragem feminina, da capacidade de ir ao encontro dos outros, de estender a mão para uma ajuda, da solicitude. Principalmente ele falou da alegria daquelas que enchem o coração e dão à vida um novo sentido e uma nova direção.

Francisco comentou que os trechos do Evangelho do dia, bem como as palavras do Profeta Sofonias na Primeira leitura e de São Paulo, na Segunda, formam uma liturgia “cheia de alegria” e chega como “um vento novo” que preenche nossas vidas.

Alegria e cristãos tristes

Disse o Papa: “É feio ver cristãos com a cara virada, cristãos tristes, é feio, feio, feio… Não são plenamente cristãos. Acreditam que são, mas não o são totalmente. Esta é a mensagem cristã. E nesta atmosfera de alegria que a liturgia nos dá de presente, gostaria de ressaltar apenas duas coisas: primeiro, um comportamento; segundo, um fato. O comportamento é o serviço”.

Maria, mulher corajosa

Maria realiza sua visita de serviço sem incertezas. Para Francisco, o Evangelho mostra que Maria “dirigiu-se apressadamente”, embora estivesse grávida e arriscasse se deparar com malfeitores no decorrer da estrada.

“Esta jovem de 16 ou 17 anos, não mais”, “era corajosa. Levanta-se e vai”:

“Coragem de mulher. As mulheres corajosas que existem na Igreja são como Nossa Senhora. Essas mulheres que levam avante a família, essas mulheres que levam avante a educação dos filhos, que enfrentam tantas adversidades, tanta dor, que curam os doentes… Corajosas: levantam-se e servem, servem.O serviço é sinal cristão. Quem não vive para servir, não serve para viver. Serviço na alegria, esta é a atitude que gostaria de destacar hoje. Há alegria e também serviço. Sempre para servir”.

O encontro com alegria

O Papa falou do encontro de Maria com sua prima: “Essas duas mulheres se encontram, e se encontram com alegria”: era “só festa”.

Seria bom se “nós aprendêssemos isso, serviço e ir ao encontro dos outros. “Como o mundo mudaria”:

“O encontro é outro sinal cristão. Uma pessoa que se diz cristã e não é capaz de ir ao encontro dos outros, de encontrar os outros, não é totalmente cristã. Seja o serviço, seja o encontro, requerem sair de si mesmos: sair para servir e sair para encontrar, para abraçar outra pessoa. É com este serviço de Maria, com este encontro que se renova a promessa do Senhor, se atua no presente, naquele presente. E propriamente o Senhor – como ouvimos na primeira Leitura: ‘O Senhor, teu Deus, está no meio de ti” – o Senhor está no serviço, o Senhor está no encontro”, concluiu Francisco.

Fonte: Gaudiumpress