Um guia para o Advento

A palavra advento vem da palavra latina adventus, que significa “vinda“. A temporada do Advento, que começou no domingo, 1º de dezembro, é de comemoração, espera de espera e preparação para o que costuma ser chamado de “três chegadas“.

 

De fato, o Advento é um tempo em que:
Comemora-se a primeira vinda de Cristo no Natal;
Aguarda-se a Sua Segunda Vinda;
Preparamo-nos para a vinda de Cristo em nossos corações.

 

Como devemos entrar plenamente na alegria, maravilha e amor que são as principais características do Advento? Como devemos fazer uma pausa na agitação deste tempo e nos lembrar de que “Jesus é a razão da estação”? Primeiro, devemos ser “vigilantes“.

Refletir sobre a leitura do Evangelho da Liturgia do Advento é uma maneira perfeita de nos adaptarmos a esta época.

“Jesus disse aos seus discípulos: Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas, e na terra as nações ficarão consternadas, perplexas com o rugido do mar e das ondas. As pessoas morrerão de medo em antecipação a o que está vindo sobre o mundo, pois os poderes dos céus serão abalados, e eles verão o Filho do Homem vindo em uma nuvem com poder e grande glória, mas quando esses sinais começarem a acontecer permaneçam eretos e levante a cabeça. porque sua redenção está próxima.”

“Cuidado para que seus corações não fiquem sonolentos por causa da embriaguez e ansiedades da vida cotidiana, e nesse dia pegue você de surpresa como uma armadilha. Pois esse dia atacará todos os que vivem na face da terra. Seja vigilante em tudo. Ore para que tenha forças para escapar das tribulações iminentes e estar diante do Filho do Homem.”

O que significa ser “vigilante” durante esta temporada especial?

No primeiro domingo do advento, o pároco da minha paróquia resumiu assim: Ele disse que devemos “estar prontos e preparados” para a Segunda Vinda de Cristo. Nos dias que antecedem o Natal, afirmou: “podemos nos beneficiar ao considerarmos quem somos, o que estamos fazendo com nossas vidas e como estamos nos aproximando do grande teste que realmente importa – nosso encontro pessoal com o Senhor no dia do julgamento “.

Devemos nos esforçar para imitar os padrões do Evangelho e permitir que Cristo “nasça em nossos corações“.

Ele continuou: “Durante o advento, a Igreja apela para uma melhoria em nossas vidas e para uma nova profundidade de sinceridade em nossa religião. Ela nos convida a recomeçar a construção de um relacionamento mais próximo com Cristo”.

Não é de admirar que o Advento seja frequentemente descrito como uma época de alegre espera, desejo, saudade e expectativa.

Santa Faustina explica lindamente esse desejo. Para ela, também, era um desejo abrir espaço para Cristo em seu coração. Em seu Diário, no ano de 1932, ela escreve:

“Durante o Advento, despertou no meu coração uma grande saudade de Deus. O meu espírito ansiava por Deus com toda a força do meu ser. Nesse tempo o Senhor concedeu-me muitas luzes, para conhecer os Seus atributos”.

O primeiro atributo que o Senhor me deu a conhecer é a Sua santidade. Essa santidade é tão elevada que tremem diante Dele todas as potestades e virtudes. Os espíritos puros cobrem o seu rosto e mergulham em incessante adoração, e têm apenas uma palavra para expressar a maior honra, isto é “Santo…” A santidade de Deus derrama-se sobre a Sua Igreja e sobre toda a alma que nela vive — embora nem sempre com a mesma intensidade. Existem almas inteiramente divinizadas, porém há também outras que tão somente vivem.

O segundo atributo que o Senhor me deu a conhecer é a Sua justiça. E esta é tão imensa e penetrante que atinge o fundo do ser, e tudo diante Dele é manifesto em toda a nudez da verdade, e nada Lhe pode resistir.

O terceiro atributo é o amor e a misericórdia. E compreendi que o amor e a misericórdia é o maior atributo. É ele que une a criatura ao Criador. O mais imenso amor e abismo da misericórdia eu reconheço na Encarnação do Verbo, na Sua Redenção; e foi aqui que conheci que este é o maior atributo em Deus.” (Diário, 180).

Estes trechos são um grande exemplo de como, ao passarmos o tempo no Advento dando boas-vindas a Cristo em nossos corações, Ele se revela para nós. A seguir, apresentamos algumas maneiras pelas quais podemos recebê-Lo:

Abra mais espaço para Ele: você pode fazê-lo através de uma leitura mais intensa das Escrituras, gastando mais tempo em oração e permitindo que seu amor por Ele seja visível em tudo que você faz. Além disso, planeje ir à confissão. Participe da missa diária, se puder, ou passe um tempo regular na Adoração Eucarística.

Ajude os necessitados: encontre uma atividade familiar que permita interagir com os necessitados. Visite uma casa para idosos ou um abrigo para sem-teto. Ou convide alguém que pode estar sozinho para passar um tempo neste advento junto de você e sua família. Ou dê um presente monetário a uma causa beneficente ou a uma família que você conhece que está em crise financeira.

Faça uma coroa do advento: se você ainda não tem uma, considere fazer uma. Tudo que você precisa são alguns raminhos sempre verdes. Forme-os em um círculo com quatro velas. “Acender uma vela distinta em cada um dos quatro domingos do Advento simboliza a vinda de Cristo, a Luz do mundo.”¹ A cada dia ou semana, você pode cantar hinos ao redor da coroa e recitar orações.

 

Essas três sugestões nos ajudarão a permanecer espiritualmente alertas e vigilantes por Aquele que esperamos: JESUS. Que possamos acolher Sua chegada e preparar um lugar para Ele reinar em nossos corações para sempre.

 

  1. Jovian P. Lang, OFM, em seu livro Dictionary of the Liturgy (Catholic Book Publishing Company).