Aniversário de Santa Maria Faustina Kowalska

Em um dia como hoje, 25 de agosto, Santa Faustina completaria 114 anos.

Conheça mais sobre a história dessa Santa Faustina foi escolhida por Jesus para ser Sua missionária da poderosa mensagem da Divina Misericórdia.

Em 1905, ela nasceu como Helena Kowalska em uma família de camponeses pobres na Polônia e foi o terceiro de dez filhos. Ela se sentiu chamada para uma vocação religiosa desde os sete anos, mas foi desencorajada a persegui-la por seus pais, pois não podiam pagar o dote, que era o dinheiro e o guarda-roupa necessários para uma mulher entrar na vida religiosa.

Em vez disso, ela se jogou em modas mundanas, indo a bailes com sua irmã e usando o dinheiro que ganhou de babá para comprar roupas da moda. Ela era de fato tão elegante, que um empregador anterior comentou que achava que Helena era muito cara para contratar. Era evidente que ela tinha um dom natural para contar histórias para as crianças, que eram cativadas por seu discurso.

Mais tarde em sua vida religiosa, as irmãs admitiram que amavam estar na companhia dela e a chamaram de “advogada” por causa da maneira persuasiva como ela usou gestos com as mãos para impulsionar seu argumento.

A vida de Helena tomou um rumo dramático quando, aos dezenove anos, ela viu uma visão de Cristo flagelado, sofrendo, enquanto dançava no parque com sua irmã. Quando ela testemunhou o corpo dele coberto de feridas, se obrigou naquele momento a entrar na vida religiosa.

Ela fez as malas naquela noite e viajou para Varsóvia, onde foi recusada por vários conventos antes de ser finalmente aceita pela Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia. Ela entrou na comunidade quando tinha quase vinte anos, assumindo o nome de Irmã Maria Faustina.

A comunidade se dedicava a cuidar das necessidades espirituais e educacionais de mulheres com problemas, que incluíam ajudar mães solteiras e mulheres presas em uma vida de prostituição.

A irmã Faustina, no entanto, recebeu as tarefas mais humildes para fazer por causa de sua falta de instrução. Seja cozinhando, jardinando ou atendendo a porta, a irmã Faustina sempre foi alegre, humilde e diligente.

Exteriormente, sua vida religiosa teria parecido bastante comum. No entanto, interiormente, o Senhor estava convidando-a mais profundamente em seu plano para a redenção da humanidade, através de uma união com ele.

“Se os anjos fossem capazes de inveja, eles nos invejariam por duas coisas: uma é a recepção da Sagrada Comunhão, e a outra é sofrimento.”

A irmã Faustina começou a ter visões de Jesus, que lhe pediu para ser Sua apóstola e “Secretária da Misericórdia”. Ela estava sendo recrutada para proclamar a verdade sobre a misericórdia de Deus para o mundo e implorar a misericórdia de Deus pelos pecadores através de novas formas de devoção.

Por obediência a Cristo e seu diretor espiritual, ela registrou as revelações e mensagens recebidas de Nosso Senhor em seu diário pessoal, a Divina Misericórdia na Minha Alma. Nele, ela documentou fielmente todas as palavras de Cristo e seus diálogos com ele. Jesus disse-lhe:

Secretária do Meu mais profundo mistério, deves saber que estás em exclusiva intimidade Comigo. A tua tarefa é escrever tudo o que te dou a conhecer sobre a Minha misericórdia para o proveito das almas que, lendo estes escritos, experimentarão consolo e terão coragem de se aproximar de Mim.” (Diário 1693).

Nenhum desses eventos foi conhecido por ninguém além do diretor espiritual e superior da Irmã Faustina, e depois de sua morte até mesmo suas irmãs mais próximas ficaram chocadas com os grandes sofrimentos e experiências místicas que ela teve.

Santa Faustina viveu uma vida oculta de sacrifício, unindo constantemente seus sofrimentos com a Paixão de Cristo e cooperando com Seu plano para a salvação das almas. Sua vida foi preenchida com experiências extraordinárias; ela foi capaz de perceber o mundo sobrenatural com seus sentidos, e foi dotada de dons como a leitura de almas humanas e profecia.

Em sua humildade, ela não via seus dons como sua fonte de santificação, mas sim, fazendo a vontade de Deus. Santa Faustina disse a Jesus: “Eu quero amar você como nenhuma alma humana te amou antes”. Ela morreu em Cracóvia, com 33 anos, de tuberculose. Isso aconteceu no ano de 1938.

Em 2000, ela foi canonizada pelo Papa João Paulo II, e sua mensagem da Divina Misericórdia continuou a se espalhar pelo mundo, levando as almas a confiar em Jesus e em Seu amor por elas.

Fonte: Given Institute

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *