“Aproveite hoje para dizer ‘não’ ao mal e ‘sim’ a Deus” convoca o Papa Francisco

(Foto: Vatican News/Vatican Media)

O Papa Francisco recitou o Angelus, devido a Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria, na janela do Palácio Apostólico do Vaticano, nesta terça-feira (08). O Santo Padre comenta que hoje é a celebração de uma das maravilhas da história da salvação: a Imaculada Conceição da Virgem Maria. Nossa Senhora foi salva por Jesus – porém de forma extraordinária – pois Deus a queria como mãe do Filho Dele. “E, portanto, Maria, ao longo de sua vida terrena, estava livre de qualquer mancha de pecado, ela era a ‘cheia de graça’(Lc 1:28), como o anjo a chamava, e desfrutava de uma ação singular do Espírito Santo, a fim de sempre ser capaz de manter-se em sua relação perfeita com seu filho Jesus; na verdade, ela era discípula de Jesus: a Mãe e o discípulo. Mas o pecado não estava nela” destaca o Pontífice. O Papa cita São Paulo na Carta aos Efésios afirmando que cada ser humano é criado por Deus para ser santo. Dessa forma, os que “abre a porta do paraíso é a graça de Deus”.

O que nos abre a porta do paraíso é a graça de Deus, recebida fielmente de nós”

Papa Francisco

O Santo Padre explica que até os santos mais inocentes eram também marcados pelo pecado original, mas lutavam com todas as forças contra as consequências. Ele ainda salienta que todos os santos passaram pela porta estreita que leva à vida. O Pontífice alerta aos fiéis a não adiarem um exame sério da vida, aproveitando da paciência do Senhor Jesus. Ele recomenda aproveitar o momento presente. “Este é o sentido cristão de lucrar com o dia: não aproveitar a vida no momento em que foge, não, este é o sentido mundo. Mas aproveite hoje para dizer ‘não’ ao mal e ‘sim’ a Deus; abrir-se para sua Graça; finalmente pare de se entregar arrastando para a hipocrisia” destaca o Papa Francisco.

O Pontífice orienta aos fiéis a serem verdadeiros e reconhecerem os pecados e sendo assim, confessá-los. “Isto é para começar uma jornada de conversão pedindo antes de tudo o perdão de Deus no Sacramento da Reconciliação, e depois reparando o mal feito aos outros. Mas sempre aberto à graça. O Senhor bate em nossa porta, bate em nossos corações para entrar conosco em amizade, em comunhão, para nos dar salvação”. O Santo Padre conclui que esse é o caminho para “nos tornarmos ‘santos e imaculados’”. “A beleza intocada de nossa Mãe é inimitável, mas ao mesmo tempo nos atrai”. O Pontífice finaliza pedindo a graça de confiar cada vez mais em Nossa Senhora e “dizer de uma vez por todas ‘não’ para pecar e ‘sim’ para graça”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *