Congregação dos Padres Marianos tem novo Diácono

No dia 10 de agosto foi celebrado na Paróquia São Jorge, bairro Portão, a ordenação Diaconal de Edson Hable, da Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição.

A celebração foi presidida pelo Bispo Auxiliar de Curitiba, Dom Amilton Manoel da Silva, e contou com a presença dos sacerdotes e seminaristas da Congregação, dos familiares de Edson, dos Padrinhos e Madrinhas Vocacionais e da comunidade paroquiana.

Conheça mais sobre a vida do Diácono Edson Hable, MIC

Sou Edson José Hable, estou sendo formado desde março de 2011 e há mais de três anos estou estudando na Polônia. Toda essa aventura com Deus é fruto do discernimento dos superiores e meu durante o processo formativo. Essa experiência está sendo uma oportunidade para conhecer novos lugares, pessoas e costumes… Mas não é só isso. Tem sido uma maneira de passar por um processo diferenciado de formação. Posso dizer que passei por uma “desinstalação” ou, para falar numa linguagem do Papa Francisco, uma descentralização.

O Papa Francisco nos ensina que a pessoa que passa pelo encontro com o Senhor deve ser colocar em movimento, em movimento de saída, pois a relação com o Senhor não é estática nem intimista: “Quem coloca Cristo no centro da sua vida, descentraliza-se! Quanto mais te unes a Jesus e mais Ele se torna o centro da tua vida, tanto mais Ele te faz sair de ti mesmo, te descentraliza e abre aos outros”. “Não estamos no centro; estamos, por assim dizer, ‘deslocados’, estamos ao serviço de Cristo e da Igreja” (Alegrai-vos, n.5). Essa dinâmica de seguir a Jesus é um desafio, pois é um golpe no meu egoísmo: ou dou tudo para Jesus, ou fico dividido entre Deus e o mundo. Se não me dedico totalmente a Deus, não viverei a dinâmica do Evangelho (cf. Mt 6,24).

Esse processo de descentralização, que deve ser algo normal durante a formação, aconteceu em mim de maneira muito mais intensa justamente com a minha estadia em outro país. Também o fato de viver fora do país é um sinal que me faz recordar que o cristão realmente vive fora da pátria, pois nossa definitiva morada é o céu.

Ao viver em outro ambiente passei por momentos difíceis, que me impulsionaram para um amadurecimento mais intenso principalmente na purificação de minhas intenções e no fortalecimento de minha fé. Quando via que não conseguia sozinho, era aí que minha oração era mais fervorosa que de costume, pois sentir na pele aquilo que conhecia só de ouvir falar é uma oportunidade única para poder experimentar a ação de Deus em primeira pessoa.

Assim foi com Jó (42,5): “Eu te conhecia só por ouvir dizer, mas, agora vejo-te com meus próprios olhos”. Não ouso dizer que vi Deus face a face, mas percebi melhor como sou conduzido por Ele no cotidiano.

Como a Polônia é a terra do nosso fundador – Santo Estanislau de Jesus e Maria Papczyński – e o berço da congregação, ao morar lá posso conhecer mais de perto os lugares relacionados com a história dos Padres Marianos. Além disso, muitos dos missionários são poloneses e isso permite conhecer melhor a dimensão universal da ação da Congregação. Sem contar que a Polônia é a terra de muitos santos, como santa Faustina e são João Paulo II. O fato de estudar lá permite desfrutar melhor a riqueza do ensinamento teológico do papa polonês.

Tenho mais um ano de estudos na Polônia. Para concluir os estudos teológicos devo escrever uma monografia (em polonês). Depois disso, espero a eleição da Igreja para ser ordenado padre.

Conto com vossas orações para que este tempo de preparação para a ordenação presbiteral. Que este tempo seja o mais frutuoso possível, sob a proteção da Mãe Imaculada.

Fotos: Richard Helmuth Windfried Angert Roch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *