Talvez você já tenha ouvido falar dos Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia (EADMs). É um ministério leigo ligado à Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição.

Logo, os Apóstolo Eucarísticos levam a mensagem da Divina Misericórdia para as comunidades em todo o mundo. Mais que isso, praticam obras de misericórdia e encorajam as pessoas a viverem a mensagem da misericórdia no cotidiano da vida.

Contudo, para entender como começou esse ministério, ninguém melhor do que o fundador dos Apóstolos Eucarísticos para narrar sua história. Por isso, acompanhe a partir de agora o depoimento do Dr. Bryan Thatcher.

O Diário de Santa Faustina como trampolim

Página do Diário de Santa Faustina

O ministério que deu origem aos Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia começou em 1994 na Igreja da Natividade, em Brandon, Flórida – EUA.

O padre Jaime Lara estava formando pequenas comunidades cristãs. Ou seja, pessoas que se reuniam semanalmente para discutir as leituras do Evangelho da próxima semana.

Porém, inspirado no Diário de Santa Faustina, sugeri que usássemos esse texto místico de forma sistemática para discutir as leituras. Logo, o padre Lara me apoiou e me deu permissão.

O tamanho do grupo variava de 6 a 18 pessoas, e nos reunimos semanalmente por vários anos em nossa casa.

Todavia, as pessoas realmente gostavam da música, da oração, do compartilhamento da fé e do companheirismo. Assim, nos aproximamos espiritualmente e nos tornamos como uma família.

O amor à Eucaristia inspira os Apóstolos Eucarísticos

Nessa época, recebi uma literatura sobre o milagre eucarístico de Betania, Venezuela. Logo, fiquei intrigado e comecei a ler e aprender o máximo que pude sobre a Eucaristia. Por isso, em 1995, viajei pela Itália para vários locais de milagres eucarísticos, junto da minha esposa, pais e nossos três filhos.

Logo, compreendi como a Eucaristia estava ligada à mensagem da misericórdia e desejei difundir aos leigos a verdade da Presença Real de Jesus na Eucaristia.

Contudo, naquele mesmo ano, me aproximei dos Padres Marianos da Imaculada Conceição. E em seguida da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia (Ordem de Santa Faustina). Logo, minha intenção era saber se havia algum programa formal da Divina Misericórdia para os leigos. Mas ambas as congregações me disseram que não.

Contudo, após minha persistência, enviei por fax uma carta a um homem da Inglaterra que estava fazendo palestras sobre a Divina Misericórdia ao redor dos Estados Unidos. Perguntei a ele sobre a existência de algum grupo de leigos e de formação para leigos sobre a Divina Misericórdia.

Em seguida, poucas horas depois, recebi um fax dele informando que o Cardeal Franciszek Macharsk, o então arcebispo de Cracóvia (Polônia), e as freiras estavam discutindo exatamente esse assunto.

Portanto, devido ao meu questionamento, eu e minha esposa seríamos convidados para uma reunião na Polônia, em fevereiro de 1996. Logo, a reunião era para discutir a questão, ele dizia no fax.

Enquanto isso, o meu amor, compreensão e desejo de difundir a mensagem da Misericórdia continuaram a crescer.

Uma ideia decola os Apóstolos Eucarísticos

Manual e estatuto dos Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia

Nosso grupo em Brandon continuou a se reunir e eu decidi reunir lições formais em um livro que foi impresso em 1996. Para isso, uma corporação sem fins lucrativos também foi criada naquele ano. E eu comecei a falar mais em conferências. Logo,  a notícia sobre nosso trabalho começou a se espalhar.

Então realizamos uma grande conferência sobre a Divina Misericórdia, em 1996, em Tampa. Mais de 1100 pessoas compareceram.

Imprimimos nosso primeiro manual de formação para os Apóstolos Eucarísticos em 1997. Nele continha as primeiras 50 lições do nosso grupo de oração.

Além disso, tivemos uma grande conferência em Tampa, intitulada “A Divina Misericórdia como modo de vida”.

Portanto, mais tarde isso se tornou um ponto focal de nosso ministério enquanto tentávamos ajudar os leigos a aprender e a viver a mensagem da Divina Misericórdia.

Pouco depois, recebi um convite do Cardeal Pio Taofinuu para falar na Samoa Ocidental. E, no início de 1998, o Bispo Charles Kweku Sam, da Diocese de Sekondi-Takoradi, em Gana, convidou-me para ir até lá para falar em sua diocese.

Nosso programa de evangelização estava ainda na sua infância, mas logo começamos um grande envio de suprimentos para lá. Eram suprimentos médicos, máquinas de costura, artigos religiosos e roupas para os pobres. E através de nossos esforços, uma escola de comércio e um lar para deficientes foram construídos em Eikwe-Nzema, Gana.

O convite dos Padres Marianos

Em 1998, éramos um ministério bastante ocupado. Eu estava em contato com o Pe. John Hardon, S.J., que sugeriu que estivéssemos sob as orientações do Arcebispo de Chicago,por causa de nosso trabalho eucarístico.

Pouco depois, recebi um telefonema do proeminente estudioso da Divina Misericórdia, Pe. Seraphim Michalenko, sacerdote Mariano, sobre o ministério.

Logo, expliquei a ele sobre o nosso trabalho e ele sugeriu que estivéssemos vinculados à Congregação dos Marianos, pois nosso trabalho era baseado na Divina Misericórdia. E isso foi feito em 1998. O padre Seraphim me ajudou a revisar e a completar os manuais de formação.

Minha primeira viagem às Filipinas foi em 1998. Conheci o Monsenhor Josefino Ramirez e conversei com ele sobre o ministério. Fiz palestras em vários locais e o ministério dos Apóstolos Eucarísticos começou a se espalhar ativa e rapidamente por lá.

Desde então, enviamos toneladas de suprimentos médicos e de outras coisas para as Filipinas ao longo dos anos. Também em 1998, recebemos uma bênção apostólica especial sobre nosso trabalho e para aqueles que apoiam o ministério. Com a ajuda de Paul Regan e Oscar Delgado, começamos a trabalhar para que as pessoas orassem pelos doentes e moribundos nas capelas de adoração.

A bênção de São João Paulo II para os Apóstolos Eucarísticos

Contudo, no final de 1999 recebemos do Papa João Paulo II uma bênção apostólica: para aqueles que rezam o Terço da Divina Misericórdia durante a Adoração Eucarística. Logo também começamos a enviar cópias da bênção para as capelas que participaram.

Rapidamente, em mais de 600 capelas  o Terço da Misericórdia passou a ser rezado durante a Adoração pelos doentes e moribundos.

Além disso, publicamos um folheto explicando as promessas de Jesus para os que rezam o Terço da Misericórdia. E esse aspecto do ministério tornou-se ainda mais ativo.

No anos que seguiram tivemos muitas portas abertas para espalhar a mensagem da Misericórdia nos Estados Unidos por meio de conferências. Bem como no exterior por meio de nossas viagens e remessas de suprimentos.

Falei em grandes conferências nos EUA e, durante os 3 anos seguidos viajei para Portugal, Nigéria, Quênia, Peru, Equador, Samoa, Malásia, Cingapura, Filipinas, Ucrânia e Índia.

Além disso, também enviamos contêineres com suprimentos para a Polônia, Ucrânia, Lituânia, Libéria, Tanzânia, Uganda, México, República Dominicana, Cuba, Nicarágua e Indonésia.

Um novo milênio, centrado em Cristo

Em 2001, Trish Short produziu um vídeo e um DVD sobre o ministério dos Apóstolos Eucarísticos, chamado “I Am a Voice” (Eu sou a Voz). Mais tarde, naquele ano, e com a sua ajuda, publicamos uma versão mais contemporânea do Terço da Misericórdia que desde então se tornou extremamente popular.

Contudo, em 2002, os Apóstolos Eucarísticos começaram a falar mais sobre a santidade da vida e a mensagem da misericórdia. Falei com o Pe. Frank Pavone, do Priests for Life (Sacerdotes para a vida), e decidimos montar um livro sobre a cura do aborto por meio da Divina Misericórdia. Logo, o livro intitulado “Rachel, não chores mais” se tornou popular entre leigos.

Em paralelo, o número de membros nos encontros dos Apóstolos Eucarísticos começou a crescer. Em parte, devido à série com os encontros dos Apóstolos Eucarísticos que foi ao ar pela primeira vez na Quaresma de 2004 na EWTN (canal de TV católico).

A série foi transmitido para muitos países, e começaram a surgir perguntas sobre os Apóstolos Eucarísticos. Logo, o grupo de leigos querendo estudar, orar e aprender mais sobre a Divina Misericórdia continuou a crescer.

Estima-se que mais de 3 mil grupos de Apóstolos Eucarísticos se formaram apenas nos EUA. Logo, estão ligados ao nosso trabalho 35 países, incluindo lugares como Namíbia, Togo e Papua Nova Guiné.

Com a ajuda do então Vice Geral dos Marianos, Jon Rokosz, MIC, em 2003 recebemos mais uma bênção apostólica. Desta vez dirigida especialmente para os Apóstolos Eucarísticos e todos os fiéis que rezam o Terço pela causa pró-vida. Para nós é uma bênção muito especial.

Além disso, o Fundador dos Marianos, Santo Estanislau de Jesus e Maria Papczynski, foi beatificado em 2007 por um milagre pró-vida; isso afirmou e confirmou o trabalho dos Apóstolos Eucarísticos na causa pró-vida.

A expansão dos Apóstolos Eucarísticos pelo mundo

No final de 2003, os Apóstolos Eucarísticos receberam um pedido para ajudar a enviar para Ruanda uma estátua de Jesus Misericordioso de 18 pés de altura. Isso foi feito no início de 2004.

Logo, em dezembro de 2004 visitei a Ruanda com o Pe. Serafim e discutimos planos futuros com o missionário ruandês Pe. Leszek Czelusniak, MIC. Portanto, em 2010 realizamos uma grande conferência em Tampa, com mais de 1.100 participantes. Todo dinheiro arrecadado foi para o ministério do Pe. Leszek.

Em 2005, gravamos outra série dos encontros dos Apóstolos Eucarísticos para a EWTN e completamos o guia de estudo que acompanha os encontros. Desde então, tivemos um crescimento ainda maior dos grupos nos EUA e no exterior. Além disso, os Manuais foram traduzidos para o espanhol e o português.

Logo, em 2005 viajamos para o Brasil e palestramos na conferência da Divina Misericórdia, coordenada pelos Marianos neste país.

Clique aqui e saiba como iniciar um grupo de Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia na sua paróquia