Jubileu da misericórdia é no mundo inteiro, não só em Roma

papa francisco sorriso

Perdão e coragem: essas duas palavras marcaram a Audiência Geral do Papa Francisco da última quarta-feira (16/12). Cerca de 15 mil peregrinos se reuniram na Praça S. Pedro para ouvir a catequese do Pontífice, que foi dedicada aos sinais do Jubileu.

A salvação é grátis

O primeiro sinal é a Porta Santa, aberta no último domingo em todas as dioceses. “O Jubileu é em todo o mundo, não só em Roma”, frisou o Papa, justamente para que este Ano Santo possa se tornar uma experiência compartilhada por todas as pessoas.

Espalhada em todos os continentes a articulada em tantas Igrejas particulares, “é sempre e somente a única Igreja que Jesus Cristo quis e pela qual ofereceu a Si mesmo”, recordou Francisco, citando o Concílio Vaticano II. A Porta, aliás, indica o próprio Jesus quando disse: “Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem”.

“Atravessar a Porta Santa é o sinal da nossa confiança no Senhor Jesus que não veio para julgar, mas para salvar. É sinal de uma verdadeira conversão do nosso coração”, afirmou Francisco, recordando que a salvação “não se paga, não se compra, é grátis”, advertindo para quem eventualmente quiser cobrar de algum fiel esta experiência. “A Porta é Jesus, e Jesus é gratuito!”

Ao atravessar a Porta, acrescentou, devemos manter escancarada também a porta do nosso coração, para não excluir ninguém.

Perdão

Outro sinal do Jubileu são o perdão e a misericórdia, que não devem permanecer belas palavras, mas realizar-se na vida cotidiana.

“Trata-se de um programa de vida que não deve conhecer interrupções ou exceções, mas nos impulsiona a ir sempre além sem jamais nos cansar, com a certeza de sermos amparados pela presença paterna de Deus”, disse o Papa.

Confissão

A Confissão é também outro sinal importante do Jubileu. Aproximar-se deste Sacramanto equivale a fazer experiência direta da sua misericórdia. Deus, recordou Francisco, nos compreende inclusive nos nossos limites e contradições, e é ainda mais próximo de nós quando reconhecemos os nossos pecados. Quando isso acontece, disse, “há festa no céu”.

Para quem afirma que não consegue perdoar, o Pontífice afirmou que não podemos pedir a Deus que nos perdoe se não somos capazes desse gesto. “Certamente perdoar não é fácil, porque o nosso coração é pobre e contando somente com suas forças não se pode conseguir.” Mas nos abrindo à misericórdia de Deus, seremos também nós capazes de persoar.

“Portanto, coragem! Vivamos o Jubileu iniciando com esses sinais que comportam uma grande força de amor. O Senhor nos acompanhará para nos conduzir a experimentar outros sinais importantes para a nossa vida. Coragem, avante!”, exortou Francisco.

fonte: News.va

GPS do peregrino da Misericórdia

Quer viver intensamente esse Ano Santo da Misericórdia? Veja aqui o livro que o Santuário da Divina Misericórdia preparou com exclusividade para que você possa compreender o que é o Ano Santo da Misericórdia e como aproveitar das graças desse tempo. Acesse aqui a nossa loja virtual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *