Papa Francisco em audiência com os Padres Marianos da Imaculada Conceição

A Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição está celebrando o seu Capítulo Geral em Roma, de 5 a 25 de fevereiro de 2017. Na manhã do dia 18 de fevereiro, o Papa Francisco concedeu uma audiência aos Capitulares na sala do Consistório do Vaticano, cerca de 40 participantes no Capítulo Geral dos Clérigos Marianos da Imaculada Conceição da Bem-aventurada Virgem Maria, reunidos em Roma para refletir sobre as leis e estatutos da Congregação.

O Santo Padre exortou os Padres Marianos a proclamar a Boa Nova usando linguagem e métodos compreensíveis para as pessoas de nosso tempo. Ele também os encorajou a enfrentar os novos desafios, mesmo que esses desafios possam parecer humanamente arriscados.

Referindo-se ao trabalho do Capítulo Geral sobre a revisão das regras religiosas e das Constituições dos Padres Marianos, o Papa Francisco indicou aos participantes a necessidade de permanecer fiel ao carisma do Fundador, respondendo aos novos desafios. “Que o exemplo do vosso Fundador, Santo Estanislau de Jesus e Maria Papczynski, canonizado no ano passado, ilumine o vosso caminho”, afirmou o Papa.



“O vosso serviço à Palavra é testemunho do Cristo ressuscitado, a quem encontrastes em vossos caminho e a quem vós sois chamados a trazer, pelo exemplo da vossa vida, onde quer que a Igreja vos envie”, prosseguiu. “O testemunho cristão exige também o serviço aos pobres e em favor dos pobres, o que tem sido característico da vossa Congregação desde o início. Exorto-vos a manter viva esta tradição de serviço aos pobres e simples, proclamando o Evangelho de uma maneira que eles possam compreender, bem como através de obras de misericórdia e orações pelos mortos”. O Papa Francisco recordou aos Padres Marianos a necessidade de estar perto das pessoas e de manter a simplicidade na vida religiosa. “Isso é essencial. Nós não somos príncipes, conde, ou barões. Somos homens simples tirados do povo e, portanto, temos que ir com simplicidade àqueles que sofrem mais: os doentes, as crianças, os idosos negligenciados e os pobres. A pobreza está no centro do Evangelho. E esta é a pobreza de Jesus, não uma pobreza sociológica”, enfatizou o Papa. O Papa Francisco referiu-se também ao Renovador da Congregação, Bem-aventurado George Matulaitis-Matulewicz, e à sua enorme dedicação ao desenvolvimento da Igreja, especialmente nas áreas de maior necessidade. Neste contexto, recordou as recentes iniciativas empreendidas pela Congregação Mariana nos países pobres da África e da Ásia.

“Sua Congregação tem uma longa história, escrita por corajosas testemunhas de Cristo e do Evangelho. Vocês são chamados a caminhar com renovado zelo, a fim de partirem, com liberdade profética e sábio discernimento – ambos juntos! – ao longo das estradas apostólicas e das fronteiras missionárias, cultivando estreita colaboração com os bispos e outros membros da comunidade eclesial”.  O Santo Padre também exortou os marianos a responder corajosamente a novos desafios e novas missões, mesmo que humanamente possam parecer arriscadas. “Queridos irmãos, seguindo o exemplo do vosso Fundador, sede corajosos ao vosso serviço a Cristo e à Igreja, respondendo a novos desafios e novas missões, mesmo que a nível humano possam parecer arriscados. Na verdade, o “código genético” de sua comunidade inclui o que o próprio Santo Estanislau afirmou de sua própria experiência: “Apesar das inúmeras dificuldades, a bondade e a sabedoria divinas iniciam e concluem o que quiserem, mesmo quando os meios pelo julgamento humano são inadequados . Na verdade, para o Todo-Poderoso, nada é impossível. Isso foi claramente demonstrado em mim. Esta atitude – que vem da pequenez dos meios, mesmo da nossa própria pequenez, até da nossa indignidade, na medida em que somos pecadores, vem de lá, mas tem um horizonte amplo. [Esta atitude] é o ato de fé no poder do Senhor: o Senhor pode, o Senhor é capaz. E nossa pequenez é de fato a semente, que então germina, cresce; O Senhor a rega, e assim segue adiante. Mas o senso de pequenez é aquele primeiro impulso para a confiança no poder de Deus. Vá, vá em frente nesta estrada “.

À vossa Mãe e Padroeira, Maria Imaculada, confio o vosso caminho de fé e crescimento, em constante união com Cristo e o seu Espírito Santo, que faz de vós testemunhas da ressurreição – concluiu Francisco – concedendo cordialmente aos presentes, a toda a Congregação e seus colaboradores leigos,  a sua Bênção Apostólica.

Fonte: Padri Marini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *