Artistas são os guardiões da beleza segundo o Papa Francisco

(Foto: Vatican News/Vatican Media)

O Papa Francisco agradeceu a todos os artistas em uma audiência com os organizadores do Concerto de Natal no Vaticano, no último sábado (12). O Pontífice reconhece três movimentos na criação artística. O primeiro deles é o dos sentidos, que são pegos em espanto e admiração. “Essa dinâmica inicial e externa estimula as mais profundas”. Já o segundo movimento é o que toca a interioridade da pessoa. O Santo Padre afirma que uma composição de cores, de palavras ou de sons tem a força de tocar a alma humana. Porém o movimento generativo da arte não para somente nisso.

O terceiro ponto que o Papa cita é a percepção e contemplação da beleza que gera esperança. “Neste ponto, os movimentos fundem e, por sua vez, afetam as relações sociais: geram empatia capaz de compreender o outro, com o qual temos tanto em comum” segundo o Pontífice. O Santo Padre afirma que essas três características produzem uma sensação de paz que — como São Francisco de Assis testemunha  — liberta de qualquer desejo de domínio sobre os outros, faz entender as dificuldades e impulsiona a viver bem com os outros. “Uma harmonia que está ligada à beleza e à bondade” aponta o Papa.

“Os artistas estão cientes disso e – como escreveu São João Paulo II – sentem ’em si esse tipo de faísca divina, que é a vocação artística’ e são chamados ‘não para desperdiçar esse talento, mas para desenvolvê-lo, colocá-lo a serviço dos outros e de toda a humanidade'”

Papa Francisco

O Pontífice destaca também a mensagem de São Paulo VI em que ele disse que os artistas são apaixonados pela beleza. E como São Paulo VI falou “precisa de beleza para não afundar em desespero”. O Papa encoraja os fiéis a buscarem essa beleza e luz, ainda mais durante as dificuldades causadas pela pandemia da covid-19. “Busquemos a luz da Natividade: ela quebra a escuridão da dor e da escuridão”. O Pontífice ainda diz que os artistas são guardiões da beleza do mundo. “Sua vocação é alta e exigente, o que exige ‘mãos puras e desinteressadas’ a fim de transmitir a verdade e a beleza” finaliza o Santo Padre. O Concerto de Natal é promovido pela Congregação para a Educação Católica, e os recursos serão doados à Pontifícia Fundação Scholas Occurrentes e à Fundação Salesiana Missionária Dom Bosco.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *