Papa pede que possamos proclamar a grandeza do amor e da misericórdia de Cristo

PapaFrancisco-anunciar-cristoCom os fieis reunidos na Praça de São Pedro, neste 3º domingo da Páscoa, o Papa Francisco proferiu suas considerações sobre o Evangelho. Neste texto, o Apóstolo João é um importante protagonista, foi ele que reconheceu Jesus nas margens do Lago da Galileia, onde Jesus vai à procura deles, e onde acontece a pesca milagrosa.

Com efeito – explicou o Papa – depois do período passado com Jesus nos importantes momentos do seu percurso: paixão, morte, ressurreição, os discípulos voltam, como que um pouco desiludidos à sua vida de pescadores, e passam uma noite no lago sem pescar nada. Jesus apresenta-se a eles, mas não o reconhecem. No entanto obedecem à sua sugestão de lançar as redes à direita do barco. Resultado: uma pesca incrivelmente abundante. E eis, então, que João diz a Pedro: “É o Senhor!” Pedro atirou-se imediatamente à água e foi ter com Jesus na margem do Lago. Naquela exclamação “É o Senhor!” – disse o Papa – está o entusiasmo da fé pascal:

Naquela exclamação ‘é o Senhor!’, está todo o entusiasmo da fé pascal, cheia de alegria e estupor, que contrasta fortemente com a confusão, o desconforto, o sentido de impotência que se tinham acumulado no ânimo dos discípulos”.

Aquela rede vazia era, na interpretação do Papa, como que o balanço da experiência dos discípulos com Jesus: “tinham-no conhecido, tinham abandonado tudo para o seguir, cheios de esperança …. E agora?”. Mas aquela aparição de Cristo ressuscitado no Lago da Galileia e o milagre da pesca, muda de novo tudo para eles, para os cristãos.

A presença de Jesus ressuscitado transforma tudo: a escuridão é vencida pela luz, o trabalho inútil torna-se novamente frutuoso e prometedor, o sentido de cansaço e de abandono dá lugar a um novo elã e à certeza de que ele está conosco”.

Estes sentimentos animam desde então a Igreja, a Comunidade do Ressuscitado – frisou Francisco. Às vezes pode parecer que o mal, as trevas, o cansaço prevaleça, mas “a Igreja tem a certeza de que sobre aqueles que seguem o Senhor Jesus, resplandece a luz da Páscoa que jamais se esconde”. A certeza de que Cristo ressuscitou realmente, infunde nos corações dos crentes, uma “íntima alegria e uma esperança invencíveis”. E a Igreja continua a fazer ressoar este festivo anúncio, e todos somos chamados a comunicá-lo, disse:

Todos nós cristãos somos chamados a comunicar esta mensagem de ressurreição àqueles que encontramos, especialmente a quem sofre, a quem está só, a quem se encontra em condições precárias, aos doentes, aos refugiados, aos marginalizados. A todos, façamos chegar um raio da luz de Cristo ressuscitado, um sinal da sua potência misericordiosa”.

E o Papa concluiu pedindo ao Senhor para que renove também em nós a fé pascal e nos torne conscientes da nossa missão ao serviço do Evangelho e dos irmãos. Que Nossa Senhora interceda em nosso favor e de toda a Igreja para que possamos proclamar a grandeza do amor de Cristo e da Sua misericórdia.

Fonte: News.va

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *