Uma questão de confiança

Louvores à misericórdia – O amor de Deus é a flor, e a misericórdia, o fruto

Santa Faustina escreveu em seu Diário, no dia 12 de fevereiro de 1937, algumas invocações à Divina Misericórdia. Com base nessas invocações, o Padre Miguel Sopoćko compôs uma Ladainha à Misericórdia Divina, melhorando algumas das invocações e acrescentando outras por sua própria conta (cf. Carta do Pe. Sopoćko de 14.5.1972).

Irmã Faustina escreveu: “Que a alma que desconfia leia estes louvores à misericórdia e torne-se confiante” (Diário, 949).

Esta ladainha será analisada linha por linha para que possamos nos tornar mais confiantes em Jesus, a Divina Misericórdia.

Esta é a quarta parte da série ‘O amor de Deus é a flor – Misericórdia, o fruto’.

Veja aqui:
[Parte 1]
[Parte 2]
[Parte 3]

Misericórdia divina, na nossa justificação por Jesus Cristo, eu confio em Vós.

Santa Faustina escreveu em seu Diário: “Vós não rejeitais os pecadores, mas pela Vossa inescrutável misericórdia abristes também para eles o tesouro do qual podem haurir em abundância, não só a justificação, mas toda a santidade que a alma possa atingir” (Diário, 1122).

Na Divina Misericórdia de Cristo, nós pecadores não somos apenas perdoados; somos justificados pelos seus méritos na cruz. Este é um grande ato de misericórdia! Não podemos merecer justificação, pois pecamos e nos afastamos do Coração do Pai; mas Jesus, por Sua Divina Misericórdia, nos cobre e nos purifica na fonte do Batismo e no Sacramento da Reconciliação, e nós não somos apenas justificados, mas santificados.

Misericórdia divina, que nos acompanha por toda a vida, eu confio em Vós.

“E eis que estou convosco todos os dias até ao fim dos tempos” (Mt 28,20). Jesus disse isso aos seus discípulos antes de ascender ao Pai. Ele deu autorização a eles para irem fazer discípulos de todas as nações, “batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19), e prometeu estar com eles sempre.

Esta promessa também nos é feita em virtude do nosso batismo. Somos discípulos de Jesus Cristo e a Trindade habita em nós. Como Jesus disse a Santa Faustina, a única coisa que O tira da alma é o pecado mortal (veja Diário, 1181). Então você nunca está sozinho! Deus habita em você e, além disso, Ele vem a nós todos os dias na Eucaristia e permanece conosco no Santíssimo Sacramento. Nos momentos em que você pode se sentir abandonado, rejeitado ou sozinho, lembre-se de que o Senhor habita em você. Chame-o. Ele está muito perto.

Misericórdia divina, que nos envolve de modo particular na hora da morte, eu confio em Vós.

Ao longo do Diário, Jesus diz repetidamente como Ele estará próximo daquelas almas na hora da morte que honram Sua misericórdia (ver 1075); espalham Sua misericórdia (veja 1224); proclamam a sua misericórdia (ver 378); veneram a Imagem da Divina Misericórdia (ver 48); rezam o Terço da Divina Misericórdia (ver 687); colocam sua confiança em Sua misericórdia (veja 1520); e encorajam outros a confiarem em Sua misericórdia (ver 1540).

Muitas pessoas têm medo de morrer. Mas aqueles que confiam em Sua misericórdia não precisam temê-la, pois sabem que é o momento em que encontrarão nosso Salvador Misericordioso. Permita que Jesus console você e seus entes queridos na hora da morte. Confie Nele que todos vocês se encontrarão novamente no Céu, se você permanecer em Sua graça.

Misericórdia divina, que nos concede a vida imortal, eu confio em Vós.

Deus nos criou com almas imortais. Deus nos amou tanto que quis nos criar com a capacidade de viver com Ele por toda a eternidade! Depois da Queda, perdemos essa graça original, mas por Sua misericórdia, Jesus abriu os portões do Céu para nós, por Sua Paixão, morte e Ressurreição.

Misericórdia divina, que nos acompanha em todos os momentos da vida, eu confio em Vós.

Semelhante ao trecho anterior, que a Divina Misericórdia nos acompanha durante toda a nossa vida – até mesmo através da morte – Santa Faustina agora especifica que a Divina Misericórdia nos acompanha a cada momento de nossas vidas. Nunca há um momento em que Deus te abandone. Mesmo que você não sinta a presença Dele, mesmo se você estiver nas profundezas do desespero, Ele está perto de você.

Jesus disse a Santa Faustina: “Minha filha, nas semanas em que não Me viste nem sentiste a Minha presença, estive unido contigo mais profundamente que nos momentos de enlevo. E a fidelidade e o perfume da tua oração chegaram até Mim” (Diário, 1246). Quão reconfortante! Quando você não pode sentir a Sua presença, quando você está sofrendo, se você está em um estado de graça, Ele está mais unido a você do que quando você está em tempos de consolação! Ele nunca te abandona ou te desampara. Que isso aumente sua confiança.

Fonte: Divine Mercy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *